03/04/2014 17h14 – Atualizado em 03/04/2014 17h14

O presidente da CAS explicou que o objetivo é discutir o resultado da pesquisa que teve grande repercussão na imprensa e nas redes sociais

Da Redação

Presidida pelo senador Waldemir Moka (PMDB), a Comissão de Assuntos Sociais (CAS) vai realizar audiência pública para debater a pesquisa SIPS/IPEA (Sistema de Indicadores de Percepção Social) intitulada “Estupro no Brasil uma radiografia segundo os dados da saúde”, coordenada pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA). O debate será realizado em conjunto com a Comissão de Direitos Humanos (CDH) do Senado.

O presidente da CAS explicou que o objetivo é discutir o resultado da pesquisa que teve grande repercussão na imprensa e nas redes sociais. Segundo dados divulgados pelo IPEA, 63% dos brasileiros concordaram com a frase “Mulheres que usam roupas que mostram o corpo merecem ser atacadas”.

O tema gerou debate na última reunião deliberativa da Comissão. “Essa Casa precisa dar uma resposta, o parlamento brasileiro não pode se omitir”, defendeu o senador Paulo Davim (PV-RN). A senadora Lúcia Vânia disse ter ficado surpresa com a gravidade do resultado da pesquisa.

O requerimento para a audiência foi apresentado pela vice-presidente da CAS, senadora Vanessa Grazziotin (PCdo B-AM) e assinado pelas demais senadoras da Comissão e pela presidente da CDH, Ana Rita (PT-ES).

Serão convidados representantes do Ministério da Justiça, da diretoria de Estudos e Políticas de Estado, das Instituições e da Democracia do IPEA – DIEST;da Secretaria de Políticas para as Mulheres – SPM; da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil – CNBB; do Centro Feminista de Estudos e Assessoria – CFMEA; da União Brasileira de Mulheres – UBM; de Delegacias da Mulher; e a jornalista Nana Queiroz, criadora do movimento “Não Mereço Ser Estuprada”.

O senador Moka informou que a audiência será realizada o mais rápido possível e prometeu reservar uma data na agenda da CAS ainda no mês de abril.

(*) Com informações de Assessoria de Comunicação

O presidente da CAS explicou que o objetivo é discutir o resultado da pesquisa que teve grande repercussão na imprensa e nas redes sociais (Foto: Divulgação/Assecom)

Comentários