04/09/2008 17h04 – Atualizado em 04/09/2008 17h04

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta quinta-feira (4) a Operação Porto Lindo, na região de Japorã e Tacuru. A operação tem como objetivo prender índios acusados do ataque a um ônibus escolar da prefeitura de Japorã no último dia 11 de agosto.

No dia do ataque, além de desferirem tiros contra o veículo, indígenas da aldeia Porto Lindo amarraram o motorista do ônibus, Wilson de Almeida, 41 anos, e o mantiveram em cárcere privado por 2 horas.

O fato ensejou instauração de inquérito pela PF de Naviraí que, ao final, apontou nove indígenas diretamente responsáveis pela agressão.

A polícia que utilizou 13 viaturas e mais de 50 policiais na operação, cumpriu 4 dos 9 mandados de prisão, sendo que 3 dos presos são candidatos ao cargo de vereador.

Eugênio Gonçalves, 23 anos e Dionísio Homero, 35 anos são candidatos na cidade de Japorã, e Dílson Duarte Riquelme, de 44 anos é candidato a vereador em Tacuru. Também foi preso Hipólito Martins, de 27 anos.

O restante dos mandados de prisão não foram cumpridos pelo fato dos indígenas terem fugido para o território do Paraguai ao perceberem a movimentação da Polícia Federal na aldeia, que fica próxima à divisa Brasil/Paraguai.

Os presos foram conduzidos para delegacia da PF em Naviraí , sendo que após prestarem depoimentos foram escoltados até o presídio Harry Amorim, em Dourados, onde permanecerão à disposição da Justiça Federal de Naviraí.

A PF continua diligenciando na região para cumprir os outros mandados de prisão preventiva. ( As informações são da Assessoria de Comunicação da PF)

Comentários