11/11/2014 18h11 – Atualizado em 11/11/2014 18h11

Aventureiro sai de Três Lagoas e vai passar três meses percorrendo o Parque Nacional da Chapada dos Guimarães registrando em fotos e vídeos, por ar e em terra os atrativos que o local proporciona. Bancada com recursos próprios, o documentário será editado em dez capítulos

Ricardo Ojeda

Espirito de aventura, muita adrenalina, além da realização de um sonho é a meta de James Luck que há 20 dias está sobrevoando o Parque Nacional da Chapada dos Guimarães, registrando em passeios terrestres as cachoeiras, cavernas, lagoas e trilhas em meio a uma natureza típica de cerrado.

A intenção de James Luck, piloto de paramotor é registrar com imagens, fotos e entrevistas as belezas e os atrativos turísticos que o local proporciona.

De acordo com Luck, ele pretende investir R$ 28 para fazer dez capítulos da série que ele mesmo denominou “Os rolês de James Luck”. A intenção é comercializar os direitos do documentário para uma emissora de televisão. Para isso ele contratou um editor de imagens e brevemente fará o lançamento do primeiro capítulo, de preferência em uma rede de TV. Mas se não conseguir fechar alguma parceria, disponibilizará as imagens no You Tube.

PÁSSARO MOTORIZADO

Se auto intitulando “pássaro motorizado”, Luck disse ao Perfil News que cada dia é uma aventura perigosa e excitante, porém “a energia que você sente quando está na estrada se aproximando do local é uma sensação inexplicável. Durante o percurso você já começa a ver os paredões, algumas esculturas enormes de pedras com formatos de animais. Uma tem o nome de pedra da tartaruga outra pedra do camelo entre várias outras”.

De acordo com o aventureiro, o local atrai turistas do mundo inteiro, devido a exuberância da mata nativa e dos atrativos naturais. Umas das primeiras visitas que o piloto fez foi conhecer a cachoeira da Geladeira. No local ele passou algum tempo dentro. “Ao entrar na cachoeira a gente sente que a alma está sendo lavada e restituídas de energias positivas”.

DIFICULDADES

Cauteloso diz que a emoção deve ser deixada de lado e dar lugar a razão. “Mesmo com muita experiência, por ter realizado sobrevoos em diversos estados lugares as dificuldades de voar são muitas”, diz Luck. Os ventos fortes mudam a toda hora e chove repentinamente. Além disso, encontrar um local para decolar e pousar é coisa rara, devido os gigantescos paredões, fechado de matas. Um pouso de emergência é muito dificultoso. Se precisar de um resgate, só de helicóptero, diz. “Mas que as imagens registradas na câmera e que meus olhos estão vendo compensa qualquer tipo de risco”.

DOCUMENTÁRIO INÉDITO

A intenção do aventureiro é fazer um documentário inédito do local. Para isso ele irá percorrer toda a Rota do Sonho da Chapada dos Guimarães, percurso que levará um tempo de mais ou menos três meses. Concluído o documentário na Chapada, a próxima meta do piloto é registrar as belezas do Pantanal de Mato Grosso e posteriormente de Mato Grosso do Sul.

Embora o projeto esteja sendo bancado com recursos próprios, Luck disse que está recebendo apoio de algumas empresas, como a; Boa Ideia, através do sócio proprietário, Rogério Souza e Zaira Souza, Tiête Shop de Três Lagoas, Hotel Fazenda Pousada do Tucunaré, REDFLY e do site Perfil News que vai divulgar os Rolês de James Luck.

Sobrevoar no local é inesquecível. A vista das montanhas e dos paredões é exuberante e única, porém um pouso de emergência pode complicar a situação do piloto (Foto: James Luck)

O por do sol na Chapada dos Guimarães é um espetáculo a parte da natureza

Imensos paredões e a vegetação tipica do cerrado dom alto parece formar um belo quadro pintado pela natureza (Foto: James Luck)

Comentários