09/08/2019 15h48

O vereador de Ribas do Rio Pardo, Sebastião Roberto Collis (MDB), foi acusado por moradores e caso acabou na polícia e na Câmara

Na pacata Ribas do Rio Pardo, a 103 km de Campo Grande, o sumiço de uma placa de ferro na BR-262 tem dado o que falar entre os 21,2 mil moradores da cidade. A sinalização estava no km 232, para quem viaja de Água Clara para Ribas do Rio Pardo. Depois de sumir no sábado passado, e o caso vir à tona, ela reapareceu, mas instalada ao contrário e parafusada em outro lugar, no sentido inverso. Ontem, a sinalização novamente desapareceu.

Boletim de ocorrência foi registrado pelo professor da rede pública Kleber Rodrigues de Souza, criador do site “Rio Pardo News” e para quem as notícias chegam “em primeira mão”, pelo interesse em denunciar questões de interesse público, alega ele.

Postagem de um amigo no Facebook, no último dia 6, chamou atenção do professor: “Vereador do KM 232 eu vi o que você fez no sábado passado”. Segundo Kleber, o vereador em questão é Sebastião Roberto Collis (MDB), conhecido como “Robertão”, que também é funileiro.

Prova do crime – “Posteriormente [depois da publicação no Facebook], a cidade é pequena, houve uma reunião interna entre os vereadores para saber quem era o vereador. Como o vereador é conhecido ele (Robertão) foi reconhecido. Depois que estourou a conversa, ele assumiu”, garante Kleber.

Para Kleber, o vereador pediu que outra pessoa colocasse a placa no lugar. “O mastro ficou lá, ele desparafusou e a pessoa que recolocou a placa colocou ao contrário. Ela fica a margem direita e a face fica voltada para o lado de Água Clara, voltada para o leste. Quem colocou, colocou à noite, colocou voltada para o oeste, ou seja, quem trafega não consegue visualizar. Também dá pra ver que não foi parafusada no mesmo lugar”, conta ele, que tirou as fotografias na quinta-feira (8).

Segundo a delegada Priscilla Anuda Quarti, que vai apurar o sumiço, a denúncia chegou à delegacia da cidade nesta quinta-feira (9). Kleber foi ouvido em termo de declaração e hoje o depoimento virou boletim de ocorrência. O caso agora passa a ser investigado como furto com autoria “a apurar”, já que não há indícios que comprovem quem levou a placa. “Nenhuma outra testemunha procurou a delegacia. Em tese, a pessoa furtou a placa e depois devolveu. O boletim de ocorrência foi registrado e agora vamos apurar a autoria”.

Na avaliação da delegada, o caso exige muito cuidado na apuração. “Parece que o denunciante também é envolvido com política”.

A reportagem tentou contato, por telefone, com o vereador acusado por Kleber, que não atendeu as ligações. A assessoria de imprensa de Roberto afirmou, por telefone, ter falado com ele, que estaria em sua fazenda. Segundo a assessoria, o parlamentar ficou assustado e declarou “não saber” do caso.

A reportagem tentou contato, por telefone, com o vereador acusado por Kleber, que não atendeu as ligações. A assessoria de imprensa de Roberto afirmou, por telefone, ter falado com ele, que estaria em sua fazenda. Segundo a assessoria, o parlamentar ficou assustado e declarou “não saber” do caso.

Agência Brasil

A placa que sumiu e depois foi colocada ao contrário (Foto: Kleber Rodrigues de Souza/Campo Grande News)

Comentários