Local terá 50 mil m2 de árvores nativas para formação de bosques; ação faz parte do processo de revitalização da Segunda Lagoa

Após um intenso trabalho de limpeza da Segunda Lagoa, a Prefeitura começa a agir para encher o local de árvores e formar bosques no local.

A revitalização do espaço ficará a cargo da empresa Casa da Floresta, que é responsável pelo plantio e manutenção da área por dois anos.

O plantio tomará cinco hectares da Lagoa, o que corresponde a 50 mil m², e começa na semana que vem. As árvores nativas devem formar bosques no entorno da Lagoa do Meio.

O fiscal ambiental Flávio Fardin, da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Agronegócio (SEMEA) acompanhou ontem, 19, uma visita técnica ao local, juntamente com a sua equipe, para mostrar a área disponibilizada para o plantio. Os trabalhos já foram iniciados com a preparação do solo e abertura de covas para o recebimento das mudas.

“O plantio é uma iniciativa para melhorar as condições ambientais da Lagoa do Meio e seu entorno”, disse Fardin, que afirma que a ação tem por objetivo fornecer abrigo e alimento principalmente para as espécies de aves que habitam a região.

Segundo o diretor da Casa da Floresta, Klaus Duarte Barretto, o plantio deve iniciar na próxima semana, com previsão de conclusão no mês de dezembro. Serão cinco hectares de área plantada, o que dará um novo aspecto à lagoa.

O plantio é fruto de compensação ambiental do Sistema de Monitoramento de Fronteiras (SISFRON), que está vinculado ao Ministério da Defesa e é uma obra licenciada pelo IBAMA.

Além da Secretaria de Meio Ambiente e da Casa da Floresta participaram da visita o engenheiro ambiental da G4F, Felipe Salim, e a engenheira da Savis, Tatiana Greternitz, que acompanham os trabalhos referentes ao plantio da compensação representando o SISFRON.

Técnicos visitaram o local ontem. Foto: Divulgação
Segunda Lagoa, ou Lagoa do Meio, terá cinco mil hectares de plantio de árvores nativas. Foto: Divulgação
Comentários