25/03/2012 11h08 – Atualizado em 25/03/2012 11h08

Soldado ganha salário bruto de R$ 2.444,59. O coronel tem subsídio de R$ 15.865,26

Associações de cabos e soldados, sargentos e subtenentes e oficiais apresentam nesta segunda-feira ao Comando Geral propostas de ajuste e reajuste salarial.

Edmir Conceição

O comandante-geral da Polícia Militar, coronel Carlos Alberto David dos Santos, volta a se reunir com os dirigentes de associações de oficiais, sargentos e soldados da PM, nesta segunda-feira, para tratar da unificação da política salarial. Apesar de ter uma das melhores remunerações no conjunto da PM em todos os estados, as entidades acenaram na sexta-feira com a mobilização da categoria em defesa de ajustes para reparar ‘desvios salariais’.

Na primeira reunião, não se falou em índice.Os parâmetros da tabela de vencimentos serão apresentados no encontro desta segunda-feira.

De acordo com a tabela de subsídios, que vigorou em maio do ano passado, policial com até 15 anos de serviço no posto de soldado ganha salário bruto de R$ 2.444,59. O cabo tem vencimentos brutos de R$ 2.928,88. Para o graduado (sargento), o subsídio vai de R$ 3.587,45 a R$ 5.267,47.

No oficialato, o salário varia de R$ 7.674,88 (1º tenente) a R$ 12.063,01 (major). O coronel da PM ganha, nessa mesma faixa de tempo de serviço, R$ 15.865,26.

FAIXAS SALARIAIS

A tabela de subsídios possui seis faixas salariais para todas as graduações e patentes. O coronel, por exemplo, começa ganhando R$ 14.809,83 e pode alcançar R$ 17.365,09, sem incluir eventuais vantagens, como cargos comissionados e funções gratificadas em atividades administrativas. Já o soldado começa com subsídios de R$ 2.726,85 até cinco anos de serviço e pode alcançar R$ 3.931,24 na faixa de 25 a 30 anos de serviço.

A ABSSMS (Associação Beneficente de Subtenentes e Sargentos) tem estudos que mostram os desníveis na tabela e a ACS (Associação de Cabos e Soldados) também deve apresentar planilha com o comparativo dos vencimentos da PM em outros Estados. Todas as três categorias, incluindo a AOFMS (Associação dos Oficiais da PM) apontam distorções em suas faixas e querem aumento.

O comandante-geral da PM disse que considera legítimas as reivindicações, manifestou apoio à tropa, mas lembrou que o Governo do Estado tem feito investimentos maciços no setor da segurança pública, aparelhando todas as polícias com viaturas e armamento, além de recursos tecnológicos.

“A PMMS está unida. O Comando e as entidades estão unificando pleitos para elaboração de uma política salarial para toda a Polícia Militar. Estamos fechados em apresentar a proposta que melhor atenda os desejos e as necessidades de nossa tropa”, disse o coronel David, que pediu às associações uma proposta única para ser levada ao secretário de Justiça e Segurança Pública, Wanturi Jacini, e ao governador André Puccinelli.

Clima de cordialidade marca 1ª reunião de dirigentes dos cabos, soldados, graduados e oficiais da PM com o comandante-geral.

Comentários