13/04/2016 15h31 – Atualizado em 13/04/2016 15h31

PMA de Mundo Novo, manteve contato com Policiais Militares Ambientais de Batayporã para averiguar a carvoaria de onde saíra o produto ilegal.

Assessoria

Depois da apreensão de um caminhão ontem (12) à noite, transportando 50 m³ de carvão nativo sem a documentação ambiental com nota fiscal de produto de eucalipto, para burlar a fiscalização, visto que para este produto de madeira plantada não há necessidade do documento ambiental e, aparentemente, até existia carvão de eucalipto misturado, a PMA de Mundo Novo, manteve contato com Policiais Militares Ambientais de Batayporã para averiguar a carvoaria de onde saíra o produto ilegal.

Hoje (13) pela manhã, os Policiais Militares Ambientais de Batayporã realizaram diligências no município de Nova Andradina e localizaram a carvoaria, a 49 km da cidade, que funcionava com seis fornos. Nas proximidades de alguns fornos havia lenha nativa para ser processada e sem origem e documentação. Alguns fornos existentes processavam carvão, o qual não foi possível averiguar a origem, pois estavam em processo de fabrico. Porém, havia também madeira de eucalipto, para ser processada, confirmando o que os policiais de Mundo Novo verificaram na carga do caminhão apreendido, onde havia carvão misturado, para tentar burlar a fiscalização.

A carvoaria foi interditada e foram apreendidos 18 m³ de madeira nativa sem origem e o carvão que estava sendo processado. O carvoeiro, de 39 anos, residente em Nova Andradina, foi autuado administrativamente e multado em R$ 5.400,00, por funcionar atividade potencialmente poluidora sem autorização ambiental. Ele também responderá por crime e poderá pegar pena de seis meses a um ano de detenção.

(*) Assessoria de Comunicação da Pilícia Militar Ambiental – PMMS

Hoje (13) pela manhã, os Policiais Militares Ambientais de Batayporã realizaram diligências no município de Nova Andradina e localizaram a carvoaria, a 49 km da cidade, que funcionava com seis fornos. (Foto: Assessoria)

Comentários