09/03/2018 09h29

Willams Araújo

Polêmica à vista

Na quarta-feira, em entrevista de rádio, o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) deu o tom de como deverá ser seu discurso durante a campanha eleitoral deste ano. Deve mostrar ao eleitor como herdou o Estado das mãos de seu principal adversário, o ex-governador André Puccinelli (MDB), com dívidas de monta e obras inacabadas, principalmente o emblemático Aquário do Pantanal que consome até hoje uma nota preta dos cofres públicos e continua polêmico.

Ficha limpa

Na mesma entrevista, Reinaldo mandou um recado para os adversários dizendo que é político ficha limpa ao ser questionado sobre o pleito deste ano. “O partido cuida das eleições. Mas, ‘não fugirei à luta’, se esta for a decisão dos correligionários. Ninguém é candidato de si mesmo. O momento da política vai acontecer, eu nunca fugi de disputas, dos debates, de fazer a boa política. Me orgulho de ser agente público. Tenho 21 anos de vida pública e nenhum problema, nenhuma condenação. Sou ficha limpa de verdade”, cutucou.

Respingo

Braço direito de André Puccinelli (MDB) e irmão da deputada estadual Antonieta Amorim (MDB), o empresário João Amorim teve pedido de habeas corpus negado pelo STF (Supremo Tribunal Federal), em decisão tomada na terça-feira. A prisão temporária foi decretada pela 3ª Vara Federal de Campo Grande em 10 de maio de 2016, baseada nas investigações da segunda fase da Operação Lama Asfáltica, da Polícia Federal. Para analistas, isso é apenas o fio da meada, situação que pode comprometer gente graúda da política local.

Acusação

João Amorim é acusado da suposta prática dos crimes de lavagem de dinheiro, peculato, corrupção ativa e passiva, dispensa de licitação, fraude à licitação, fraude à licitação em prejuízo da Fazenda Pública, obtenção fraudulenta de financiamento, aplicação ilegal de recursos provenientes e associação criminosa. Isso durante ao longo dos mandatos de André Puccinelli. Na mesma investigação surge o nome do ex-deputado federal Edson Giroto (PR), homem de confiança de André Puccinelli.

Propinoduto

Conforme as investigações, em dezembro de 2014, Amorim e o então secretário Estadual de Obras, Edson Giroto, foram até Presidente Prudente, no interior paulista, se reunir com outro empreiteiro para cobrar dinheiro do vencedor da licitação para as obras na MS-430. A rodovia estadual liga Rio Negro a São Gabriel do Oeste, na região centro-norte do estado. A obra foi considerada estratégica na ligação do centro ao leste de Mato Grosso do Sul e recebeu investimento do programa de desenvolvimento regional. O programa tinha convênio com o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Regional), que foi firmado em novembro de 2012.

Comentários