24/09/2013 09h11 – Atualizado em 24/09/2013 09h11

Polícia Civil apreende 230 kg de carne e 307 dúzias de ovos impróprios para o consumo

Operação conjunta com a Iagro foi realizada entre 16 e 20 de setembro em três municípios do Estado

Da Redação

Mais de 230 quilos de carne e 307 dúzias de ovos impróprios ao consumo foram apreendidos durante uma operação realizada pela DECON (Delegacia Especializada de Atendimento ao Consumidor) e a IAGRO (Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal), em Rio Brilhante (MS), Fátima do Sul (MS) e Dourados (MS).

O objetivo da ação realizada entre os dias 16 e 20 de setembro é combater irregularidades na produção, trânsito e comércio de produtos de origem animal.

Em Rio Brilhante, os policiais civis e os agentes da IAGRO interditaram um entreposto de ovos, que funcionava na área rural do município de forma clandestina. De acordo com a Polícia Civil, não havia serviço de inspeção oficial da produção, e nem condições higiênico-sanitárias adequadas. No local, além de larvas de moscas, foram encontradas algumas aves mortas.

Foram apreendidas, no entreposto, 307 dúzias de ovos. O proprietário do estabelecimento foi multado pela IAGRO. Os ovos foram considerados impróprios ao consumo, motivo pelo qual tiveram que ser destruídos.

Durante uma vistoria realizada em um supermercado de Fátima do Sul, foram apreendidos 207 quilos de carne bovina, sem origem de fiscalização, armazenadas em temperatura ambiente, sem refrigeração adequada. A Polícia Civil e a IAGRO apreenderam ainda no estabelecimento, 18 quilos de suínos em pedaços salgados, 5 quilos de charque bovino, 6 quilos de sardinha salgada e 6 quilos de frios.

O proprietário do supermercado foi notificado pela Vigilância Sanitária e as carnes apreendidas e destruídas no Aterro Sanitário do município. A ação contou com o apoio da Vigilância Sanitária Municipal de Fátima do Sul.

O delegado Marco Túlio Sampaio Rosa, titular da DECON lembra que o consumo de produtos em desacordo com as normas da Vigilância Sanitária é perigoso. “Há risco de transmissão de doenças, além disso, podem ocorrer diarreias, vômitos, náuseas, principalmente em crianças e idosos, e em casos mais extremos o consumo pode levar a morte”, alerta o delegado.

(*) Com informações de Correio do Estado

Ovos impróprios para o consumo tiveram que ser destruídos (Foto: Polícia Civil / Divulgação)

Comentários