22/03/2012 15h34 – Atualizado em 22/03/2012 15h34

Mãe e filha prestaram depoimento na tarde de quarta (21), segundo delegado A criança responderá por ato infracional análogo a lesão corporal, diz polícia.

Da Redação*

A criança de 12 anos que é suspeita de atropelar o irmão de 10 meses na terça-feira (20), em Nova Andradina, a 297 km de Campo Grande, foi ouvida junto com a mãe na quarta-feira (21), pela Polícia Civil. Segundo o delegado André Luiz Novelli, responsável pelo caso, o atropelamento foi acidental.

“Está claro para a polícia que o atropelamento foi um acidente. A mãe não autorizou e nem sabia que a filha tinha intenção de dirigir o carro” explica Novelli. A criança, segundo ele, responderá por ato infracional análogo a lesão corporal culposa, mas o auto de apuração do ato infracional depende do quadro clínico do bebê para ser concluído.

O delegado comenta ainda que o caso é de grande comoção por envolver crianças. “Além de qualquer pena, o próprio acidente pode ser considerado uma punição pela imperícia da menina. Toda a família está muito abalada”, finaliza.

O bebê

Segundo a assessoria do Hospital Universitário de Dourados, a 225 km de Campo Grande, o bebê corre risco de morte e continua com o quadro clínico gravíssimo com redução das atividades cerebrais. Ele respira por aparelhos e está sedado na Unidade de Tratamento Intensivo da pediatria, com traumatismo cranioencefálico, hemorragia cerebral e apresentou depressão do Sistema Nervoso Central.

De acordo com os médicos, nenhuma cirurgia poderá ser feita antes que a equipe médica estabilize o quadro clínico do bebê. Na manhã desta quinta-feira (22) ele passou por exames para constatar se há fraturas pelo corpo.

(*) Com informações do G1

Veículo que atropelou o bebê de dez meses
(Foto: Sandro de Almeida/Jornal da Nova)

Comentários