Angela Jorge foi assassinada a tiros. O velório vai acontecer na Câmara Municipal de Três Lagoas a partir das 10h deste sábado

A Polícia Civil teria encontrado uma carta no carro de Carlos Roberto Felipe, 59, assassino de Angela Maria Jorge Sanches, 62. Nela estaria escrito: “Foi pela pessoa que tanto amo, mas não fui correspondido”.

A carta seria a confissão da intenção dele em matar a ex namorada. O papel estava dentro da carteira dele, que estava guardada no carro que ele teria usado para ir até as proximidades do clube onde Angela estaria na noite de ontem (29), minutos antes de ser assassinada.

Segundo levantamento de informações feito pela polícia, ele estaria inconformado com o fim do relacionamento. Angela estaria com medo, pois também teria pedido a um primo que estava pelo clube que a levasse embora.

Carlos teria abordado Angela na madrugada deste sábado (30), na saída do local e falado que a levaria embora. Depois dela negar ela teria atirado nela. O tiro, segundo a perícia, foi letal, pegou em uma região próxima às axilas. Em seguida Carlos Roberto teria dado um tiro em seu ouvido, o que fez com que ele fosse socorrido e levado para o Hospital Auxiliadora ainda com vida, mas em estado grave.

DESPEDIDA

O corpo de Angela deve ser liberado a partir das 10h para o velório que será realizado na Câmara Municipal de Três Lagoas. Angela era professora e foi diretora da Escola Estadual Bom Jesus e era muito conhecida em Três Lagoas por ser de família tradicional no município.

O sepultamento deve ocorrer por volta das 16h, no Cemitério Municipal Santo Antônio.

Comentários