Dono do lugar responderá maus-tratos a animais, com pena prevista de três meses a um ano de detenção, e foi multado em R$ 43 mil; foram recolhidos 86 galos, todos com mutilação devido à retirada da espora e vários deles com ferimentos

A Polícia Militar Ambiental de Corumbá fechou ontem, 9, um lugar que funcionava como rinha de galo no bairro Cristo Redentor, em Corumbá. Eles chegaram ao local depois de denúncias.

Um homem de 60 anos identificou-se como proprietário do local e afirmou que só criava os galos, não funcionando rinha. A equipe da PMA verificou que 86 galos domésticos da espécie galo-índio eram mantidos em gaiolas de madeira e algumas de ferro extremamente apertadas, com restrição de movimentos, privação de luz solar e circulação aérea inadequada, o que, por si só, caracteriza-se maus-tratos, bem como todas as aves apresentavam-se mutiladas, com as esporas cortadas.

Cinco animais apresentavam diversos ferimentos na crista e peito. O local foi interditado e todos os 86 galos e as gaiolas foram apreendidos. O infrator, residente no local, foi conduzido à delegacia de Polícia Civil de Corumbá e responderá por crime ambiental de maus-tratos a animais, com pena prevista de três meses a um ano de detenção. A PMA confeccionou auto de infração administrativo e aplicou multa de R$ 43 mil contra o infrator.

Comentários