08/05/2013 11h20 – Atualizado em 08/05/2013 11h20

Segundo bombeiros, ainda existem pequenos focos de chamas no local. Ainda pela manhã, peritos devem fazer análise do local.

Da Redação

Trecho da avenida Afonso Pena, entre as ruas 14 de Julho e Calógeras, sentido Centro-Parque dos Poderes, continua interditado por conta do incêndio na loja Planeta, ocorrido na tarde desta terça-feira (7). Segundo o Corpo de Bombeiros, ainda existem pequenos focos nos fundos da loja e militares trabalham para que as chamas não se propaguem novamente.

A orientação é que as pessoas evitem passar pelo local por conta do risco de inalar a fumaça. De acordo com o tenente-coronel Joíson de Paula, chefe da assessoria de imprensa da corporação, o teto dos fundos do prédio era feito de material semelhante a plástico, e isso favoreceu a propagação rápida das chamas.

Segundo ele, a parede que faz divisa com um centro comercial está comprometida. O síndico do local, Paulo Grotti, disse que alguns vidros de apartamentos estouraram por conta do calor. Ele afirmou ainda que a evacuação foi tranquila apesar do susto.

“As pessoas que estavam no prédio sentiram cheiro de fumaça e em seguida começamos a evacuar”, explicou Grotti. Ainda segundo ele, cerca de 150 pessoas estavam no local e 60 carros estavam na garagem. O local está fechado nesta quarta-feira.

A previsão dos bombeiros é que os trabalhos de rescaldo terminem ainda pela manhã. Policiais militares e da Companhia Independente de Polícia de Trânsito (Ciptran) estão no local controlando o trânsito.

INCÊNDIO

O fogo começou por volta das 15h30. De acordo com informações dos bombeiros, a suspeita é que ele tenha começado no estoque e em pouco tempo se espalhado pelos demais setores do estabelecimento.

Segundo o comandante do Corpo de Bombeiros de Mato Grosso do Sul, Ociel Ortiz, a corporação foi acionada por volta das 15h24 (de MS). A primeira viatura, um carro de resgate, chegou por volta das 15h35. Dentro dele havia militares que vão ao local levantar as primeiras informações.

Outros dois veículos para combate às chamas chegaram cerca de 30 minutos depois. “As viaturas de combate a incêndio, devido ao peso, não têm muita velocidade e o trânsito atrapalhou”, disse.

Ainda conforme o comandante, o hidrante de uma loja ao lado da Planeta, que seria utilizado pelos bombeiros, não funcionou. Apenas o hidrante de um prédio, que também fica ao lado do Planeta Real, tinha água. Foi o mecanismo utilizado para combater o fogo enquanto as viaturas não chegavam.

De acordo com Ortiz, no total oito viaturas de combate a incêndio participaram da ação. Foram mais de 100 mil litros de água utilizados em cerca de 1h30 de trabalho, relata. Também foram solicitados cinco caminhões-pipa para atender a demanda.

(*) Com informações de G1 MS

Comentários