Cinco pessoas estavam envolvidas na execução do roubo. Se não fosse a rápida intervenção das equipes do Serviço de Inteligência a ação dos acusados seria executada  

A atuação do Serviço de Inteligência da Polícia Militar de Três Lagoas foi decisiva para impedir a ação de uma quadrilha que estava agindo em uma propriedade rural, próximo ao distrito de Arapuá, que resultou na prisão de cinco pessoas envolvidas.  A ação do policiais evitou o roubo de 100 novilhas, que já estavam apartadas no mangueiro da Fazenda Bom Jardim.

Porém para chegar a esse desfecho positivo, tudo começou com a desconfiança do dono da fazenda que ao visitar a fazenda, encontrou sinais de pegadas de pessoas, próximo ao mangueiro. Havia chovido anteriormente e com a movimentação de pessoas, o solo ficou com várias marcas de pegadas.

DESCONFIANÇA

O pecuarista, desconfiado alertou a Polícia Militar, solicitando apoio a fim de verificar a situação. Ao tomar da ciência do fato, o comandante do 2º Batalhão de Polícia Militar de Três Lagoas, Coronel Gil Alexandre, acionou uma equipe do Serviço de Inteligência para que se dirigisse a fazenda a fim de investigar a denúncia.

Era por volta das 15 horas, quando os policiais em veículo descaracterizado se dirigiram até a propriedade rural. No local eles encontraram além das pegadas, como estava na denúncia, 100 cabeças de gado, que estavam apartadas no curral, pronto para ser embarcada.

ATITUDE SUSPEITA

Como não havia ninguém da propriedade, os policiais decidiram inspecionar o perímetro. Por volta das 18 horas, avistaram um veículo Ônix, com placas da cidade de Buritama (SP), entrando na fazenda. No veículo estavam três indivíduos em atitude suspeitas, que foram abordados pela equipe. Ao fazer uma revista no carro, encontraram várias cordas, serra, uma turquesa, além de aparelhos de celular.

Ao serem interrogados, os elementos confessaram que iriam transportar o gado, informando que no posto da Base, havia dois motoristas com duas carretas de cor branca, aguardando serem acionados para se dirigir a fazenda embarcar o gado. Foi nesse momento que começaram a chegar mensagem nos celulares dos elementos, enviado pelos motoristas.

Diante disso, os militares avisaram o comandante do Batalhão, que determinou que outra equipe do Serviço de Inteligência fosse dar suporte aos colegas.

FORÇA TÁTICA

A chegarem no posto, as duas carretas foram avistadas, conforme havia falado o elementos abordados na fazenda.  Ao se aproximarem dos caminhões, a equipe da Polícia Militar, que estava em veículo descaracterizado e à paisana não chamou a atenção dos motoristas.  Não havia ninguém próximo das carretas e os militares resolveram aguardar até o momento que um dos motoristas se aproximou, quando foi abordado. Ao ser questionado, ele confirmou que estava aguardando uma ligação para se dirigir a fazenda Bom Jardim, para embarcar o gado. Indagado onde estava o outro motorista, ele respondeu que estava descansando na cabine da carreta, fato comprovado pelos policiais.

Uma outra equipe da Força Tática foi acionada e apreendeu as carretas com placas de José Bonifácio/SP, juntamente com os condutores, que encaminhados à delegacia de polícia para registrar o Boletim de Ocorrência. Ao todo, cinco pessoas foram presas. Os elementos confessaram ainda que o gado seria transportado para Pereira Barreto.

FLAGRANTE

Foi abordado um veículo Ônix de Buritama/SP com três indivíduos próximo a fazenda em atitude suspeita, sendo localizadas turquesa, serra e várias cordas. Em entrevista com o três, foi descoberto que os motoristas estavam no posto base em duas carretas brancas de José Bonifácio/SP. A Força Tática deslocou até o posto e localizou as carretas, onde os motoristas confirmaram o transporte do gado. Todos foram detidos e encaminhados ao distrito policial para ratificação do flagrante. Os cinco acusados vão passar por uma audiência de custódia, onde o juiz vai decidir se os coloca em liberdade ou determine a prisão dos envolvidos.

Comentários