27/12/2012 08h08 – Atualizado em 27/12/2012 08h08

Da Redação

Polícia Rodoviária Estadual iniciou no dia 21 a Operação Boas Festas, desencadeada nas rodovias estaduais durante o Natal e a virada do ano. O objetivo é intensificar a fiscalização nas rodovias. O foco é a fiscalização de trânsito para se evitar os acidentes durante o feriado e também dar continuidade ao combate ao tráfico de drogas e ao contrabando de cigarros.

A PRE inicia a fiscalização com um bloqueio na MS-060, saída para Sidrolândia. O bloqueio será para orientar os condutores sobre as medidas de prevenção necessárias para se evitar transtornos nas rodovias, e contará com a participação de crianças e adolescentes do projeto social da Polícia Militar, Centro de Múltiplas Atividades de Trânsito (Cematran) e a PRE.

As ações vão até a meia-noite do dia 2 de janeiro de 2013 e também visam realizar um trabalho de orientação aos motoristas e assegurar tranquilidade nas estradas estaduais. Abordagens, verificação de pessoas e veículos nos bancos de dados dos sistemas de informação da segurança pública, controle de velocidade por meio de radares móveis e uso de bafômetros para constatação de embriaguez fazem parte das ações da Operação Boas Festas.

A operação atinge todo o Estado e conta com todo o efetivo da Polícia Militar Rodoviária (PMRv), agindo nas bases operacionais e nas estradas. Rotas turísticas que dão acesso a Bonito e Ponta Porã, além de Dourados e Sidrolândia, devido ao aumento no fluxo de veículos e a posição estratégica, de corredor, característica da região, são pontos prioritários na atuação da operação.

“Estamos atuando em duas frentes: a prevenção de acidentes por meio da fiscalização e orientação dos motoristas e o combate à criminalidade, em especial ao contrabando, ao tráfico de drogas, ao porte ilegal de armas e ao crime organizado. Desta forma deixamos nossas estradas mais seguras, damos tranquilidade ao viajante e continuamos o incessante combate ao crime”, comentou o comandante da Polícia Rodoviária Estadual, major Jonildo Theodoro de Oliveira.

(*) Com informações do O correio News

Comentários