16/11/2018 07h32

ESTELITA HASS CARAZZAI, FOLHAPRESS

Assessor científico sênior da Fiocruz e uma das principais referências em vacinação no país, o pesquisador Akira Homma, em entrevista à Folha de S.Paulo, falou sobre a possibilidade de um novo surto de febre amarela no verão, e defendeu a vacinação como uma das principais medidas para combater a doença.

“Nós somos vítimas do nosso próprio sucesso; a população se sente segura, acha que não tem epidemia”, afirmou o médico, que trabalha na unidade produtora de vacinas da Fiocruz, a Bio-Manguinhos, e foi presidente da fundação entre 1989 e 1990.

Homma alerta que a febre amarela está avançando para o Sul do país nos últimos anos, e cita uma recente pesquisa da Fiocruz que demonstrou que o vírus se espalhou numa velocidade de aproximadamente três quilômetros por dia pela região Sudeste, ao longo do ano passado.

Para ele, não há risco de desabastecimento de vacina, e o Brasil pode aplicar, com segurança, as doses fracionadas. “Não é vacinação de baixa qualidade; nós temos dados: ela protege da mesma forma, porque a potência da nossa vacina é altíssima”, defendeu.

(*) Folhapress

Foto/Divulgação

Comentários