28/08/2019 17h18

Órgão entregou um memorando à prefeitura listando os atrativos turísticos e ações de baixo custo para fomentar o turismo na cidade

Gisele Berto

Com um documento conciso, o Conselho Municipal de Turismo (Comtur) se encontrou hoje, 28, com o prefeito de Três Lagoas, Ângelo Guerreiro, para apresentar ideias e sugestões que podem mudar, em curto prazo, o cenário turístico local.

Criado em agosto de 2018, o Comtur reúne membros da iniciativa privada – entidades representativas como Abrasel, Associação Comercial e outras – e agente do poder público.

No documento – um memorando resumido – foram listados dez pontos da cidade que têm maior potencial atrativo para turistas, ideias para melhorar a recepção ao turista na cidade e desafios.

Segundo o presidente do Comtur, Fernando Delmônico, os pontos listados já estão “prontos” e precisam apenas de poucos investimentos para serem melhor aproveitados. Alguns deles já contam com projetos de restauração ou reforma em andamento.

Dentre os locais citados destacam-se a Lagoa Maior, o Rio Sucuriú, a Ponte Ferroviária, o Obelisco, o Balneário, o Relógio e a Igreja de Santo Antonio, a Arena Mix, o Jupiá, a Estância JS e a Pousada do Tucunaré.

Além dos pontos atrativos, o documento lista as considerações do Conselho para melhorar os locais, deixando-os mais receptivos ao turista, usando baixo investimento; um levantamento das potencialidades, os gargalos e desafios a enfrentar.

O ideal, segundo Delmônico, seria elaborar um Plano Diretor que abrangesse essas potencialidades. “Em toda cidade que teve um desenvolvimento como o de Três Lagoas foi criado um Plano Diretor, que geralmente é feito por uma empresa grande para fazer o levantamento. Nós não tínhamos nem dinheiro, nem tempo para contratar essa empresa. Então fizemos com a nossa própria expertise, com a nossa competência, dentro daquilo que a gente enxergou que pode melhorar o turismo”, disse.

Estão incluídos no memorando, também, ações e eventos com potencial turísticos, promovidos pela iniciativa privada e pela própria prefeitura, como Churrascaje, ExpoTrês, Motocross e outros.

O Conselho levantou sete pontos potenciais que podem transformar Três Lagoas na escolha ideal para turistas: localização, artesanato, gastronomia, turismo rural, turismo de aventura, eventos e turismo histórico, aproveitando o espólio da Companhia Ferroviária.

SENSAÇÃO DE PERTENCIMENTO

O memorando entregue ao prefeito foi produzido com o conteúdo de oito reuniões mensais do Conselho, realizadas de janeiro a agosto deste ano.

O Conselho esmiuçou cada um dos pontos turísticos, oferecendo ideias como a implantação de pedalinhos na Lagoa Maior, tour guiado pela cidade, construção de um mirante na Ponte Ferroviária e instalação de totens com a divulgação da história de cada ponto.

Para alguns dos pontos mencionados pelo memorando o Conselho ouviu do Prefeito que já existe projeto em andamento – caso da Igrejinha de Santo Antonio e da fonte. Em outros casos, o Prefeito já pediu aos secretários que agilizassem as ações.

Um desses casos é a construção de um Centro de Atendimento ao Turista, na entrada da cidade, que deve sair em curto prazo.

Outra observação do Conselho é que faltaria ao cidadão três-lagoense – tanto o nascido aqui quanto ao que veio de fora – a sensação de pertencimento. “Muita gente da cidade é de fora. Eu mesmo não nasci em Três Lagoas. A maioria aqui não nasceu. Precisamos criar uma sensação de pertencimento, para as pessoas que estão em Três Lagoas amem ainda mais a cidade”, disse Delmônico ao Prefeito. A sugestão foi a criação de letreiros em concreto, no mesmo molde das aves criadas e recém-instaladas na cidade. Nestes letreiros, dispostos nos pontos turísticos, constaria a inscrição “Eu Amo Três Lagoas”. Seria um local para que as pessoas se fotografassem e divulgassem seu amor pela cidade.

O prefeito se adiantou e disse que já fez ao artista a solicitação do desenho desse letreiro, e que ele deve sair em breve. Outros pontos do documento devem ser analisados pelo secretariado e, em breve, será marcada outra reunião para que seja entregue a devolutiva.

POTENCIAL

Para Delmônico, que também é presidente da Regional Costa Leste da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes, o potencial da cidade para turismo é “monstruoso”.

Três Lagoas ainda não tem um levantamento do número de pessoas que visitam a cidade. Esse estudo deve ser começar a ser feito a partir do ano que vem, via Fundação de Turismo do Governo do Estado.

“Temos atrativos naturais incríveis. Sabemos que os investimentos em turismo são, em grande parte, vindos da iniciativa privada, mas precisamos que o poder público ajude a criar iniciativas para atrair esses investimentos. Os rios que temos já são, por si só, um atrativo turístico”, disse, lembrando que o Prefeito Guerreiro concorda com a sugestão do Conselho de incentivar o turismo náutico, com empresas investindo em passeios de barco ao longo dos rios, assim como é feito em cidades do interior paulista.

Igrejinha e a fonte serão objeto de restauro e obras de manutenção. Segundo o prefeito, projeto já foi assinado em junho. Foto: Divulgação

Reunião entre membros do Comtur e o prefeito Angelo Guerreiro aconteceu hoje, na Prefeitura. Foto: Divulgação

Documento assinado e entregue ao prefeito. Foto: Divulgação

Memorando cita o Jupiá como um dos pontos atrativos turísticos. Foto: Gisele Berto

A ponte ferroviária faz parte da lista de atrativos turísticos de Três Lagoas. Foto: Sayuri Baez

Churrascaje faz parte do circuito de turismo gastronômico de Três Lagoas. Foto: Ricardo Ojeda

Brasileiro de Motocross atrai milhares de pessoas ao Arena Mix. Foto: Arquivo Perfil News

Comentários