05/09/2018 08h01

Petrobras autorizou reajuste de 1,68% no combustível

Redação

O preço máximo do litro da gasolina se aproxima de R$ 4,50 em alguns postos de Campo Grande e deve ter nova alta a partir desta quarta-feira (5). Em menos de uma semana, a cotação média do derivado de petróleo ficou 11 centavos mais cara na Capital, passando de R$ 4,09, preço apurado pela ANP no último relatório semanal (encerrado em 1º de agosto), para R$ 4,20, de acordo com pesquisa realizada pelo Correio do Estado em 20 postos de diferentes regiões da cidade. Em porcentuais, o aumento chega a 2,54% no intervalo de cinco dias.

A reportagem apurou ainda que a gasolina comum está sendo comercializada pelo valor máximo de R$ 4,45 nos postos campo-grandenses, enquanto o preço mínimo encontrado foi de R$ 4,04. Os valores pesquisados consideram os pagamentos à vista. E hoje o litro subirá mais 1,68% nas refinarias (veja box).

Em se tratando do óleo diesel, o impacto para o bolso do consumidor é de 17 centavos a mais no mesmo período, também considerando o comparativo entre o levantamento de preços semanal da ANP e a pesquisa realizada ontem em postos da Capital. O preço do combustível saiu de R$ 3,42 para R$ 3,69, aumento de 4,97%. Considerando o maior e menor preço, há postos vendendo o diesel comum a R$ 3,79 e R$ 3,59, respectivamente.

Mesmo em menor proporção, o etanol também apresentou reajuste nos postos de Campo Grande, conforme apontou a pesquisa. O preço médio do derivado de cana passou de R$ 3,03, valor apurado pela ANP, para R$ 3,08, ficando 5 centavos mais caro (+1,65%). O preço máximo encontrado foi de R$ 3,32 e o mínimo de R$ 2,89.

REAJUSTES

Com os novos preços de referência publicados pela ANP na sexta-feira passada (31/8), o litro do óleo diesel deve ficar até 14,4% mais caro em Mato Grosso do Sul, seguindo o patamar estabelecido para a região Centro-Oeste – de R$ 2,1055 para R$ R$ 2,4094. Em nota, a agência divulgou que “os novos valores refletem os aumentos dos preços internacionais do diesel e do câmbio no último mês”.

Após a publicação da nova tabela da ANP, a Petrobras também emitiu nota informando que o preço médio do óleo diesel nas refinarias da estatal em todo o País está 13,03% mais caro. Com o aumento, o preço do diesel passou de R$ 2,0316 para R$ 2,2964.

Na ocasião, a estatal também anunciou aumento de 1,53% no preço do litro da gasolina nas refinarias, passando dos R$ R$ 2,1375 para R$ 2,1704. É o valor mais caro cobrado pelo preço do litro da gasolina desde junho do ano passado, quando a Petrobras mudou a sua política de preços e passou a acompanhar as oscilações do preço da commodity no mercado externo.

A Petrobras destacou que “os preços médios informados consideram a média aritmética nacional dos preços à vista, sem encargos e sem tributos, praticados na modalidade de venda padrão nos diversos pontos de fornecimento, que variam ao longo do território nacional, para mais ou para menos em relação à média. Essa variação pode ser de até 12% para gasolina A”.

A Petrobras anunciou nesta terça-feira que aumentará o preço médio da gasolina em 1,68% nas refinarias a partir de hoje. Com a elevação, o combustível atingirá uma nova máxima dentro da sistemática de reajustes diários, iniciada há mais de um ano, a R$ 2,2069 o litro.

Na semana passada, impulsionado pela alta do dólar, o preço da gasolina vendida pela Petrobras também foi recorde desde que a empresa passou a praticar reajustes diários, em julho de 2017. No aumento divulgado no dia 29 de agosto, a estatal chegava à sexta alta seguida, com preço de R$ 2,1079 por litro.

(*) Correio do Estado

Preço da gasolina já está alto para o bolso dos motoristas na Capital - Foto: Valdenir Rezende/Correio do Estado

Comentários