12/05/2015 16h00 – Atualizado em 12/05/2015 16h00

Nos cinco principais supermercados da cidade, o quilo do tomate varia entre R$ 2,59 e R$ 8,49. A cebola e o alho são produtos que também tiveram alta

Fábio Jorge

Assim como em todo o Estado, os três-lagoenses levaram um susto ao chegar aos supermercados da cidade e comprovarem o preço dos hortifrútis esta semana. O tomate, por exemplo, é o legume que teve a maior alta nos últimos dias, chegando a custar até 200% mais caro ao consumidor.

A reportagem do site Perfil News pesquisou o valor do produto nos principais supermercados de Três Lagoas na manhã desta terça-feira (12) e percebeu alguns clientes excluindo o tomate da lista de compras.

No Supermercado Big Mart (loja 2), o cliente Martin Wilbert (61) ao chegar na sessão de legumes e verduras já desistiu de comprar o tomate ao ver a etiqueta de preço. “Impossível levar, está muito caro. Já fui hoje a outros mercados e está quase a mesma coisa. O jeito é esperar baixar o preço”, disse Martin.

O gerente da loja Valdir Correa de Paula explicou que o aumento deve-se ao fato do fornecedor estar repassando também a um valor maior neste período. “As condições climáticas contribuíram para o atraso da colheita, e quando isso ocorre, o produtor perde e precisa elevar o preço da mercadoria. Nessa última compra, adquirimos o tomate quase 70% mais caro que semana passada”, explicou o gerente. No Big Mart, o quilo do tomate está custando R$ 7,22.

Já nos Supermercados Nova Estrela (loja 1), o gerente comercial Paulo Amaral considera que as vendas continuam equilibradas, mesmo diante da alta. Ele defende que, o consumidor preza por qualidade e mesmo com preços mais caros, o tomate vendido no estabelecimento tem agradado a clientela. “O setor hortifrúti é sempre assim e esta alta é temporária. Quando o produtor se recuperar, a produção volta a se ordenar e o preço baixa. Exemplo disso é o quilo da batata que, semana passada chegou perto dos R$ 5,00 e hoje, está sendo vendido a R$ 1,99”, esclareceu.

Em contrapartida, no próprio supermercado, a reportagem encontrou alguns clientes desistindo de levar o legume. A operadora de caixa Adriana Villalba achou o aumento muito abusivo. “Semana passada, o quilo estava R$ 2,99 e hoje R$ 6,99, um acréscimo de 200%. O tomate não falta na minha mesa, mas dessa vez vou substituir a salada por outro legume” explicou Adriana.

Dos supermercados pesquisados, o preço mais baixo foi encontrado na banca do Supermercado Thomé (loja 2), onde o consumidor encontra o quilo a R$ 4,99. Sérgio Rodrigues, líder do setor hortifrúti explicou que, mesmo com a alta e com a crise econômica, o supermercado consegue equilibrar o valor do produto para satisfazer o cliente. Este valor está mantido desde a inauguração da loja e, em dias de promoção chegou a custar R$ 2,59. Com esta alta, o tomate não cairá nas promoções.

A Rede Proença de Supermercados e Supermercados Abevê também foram pesquisados e estão vendendo o quilo do tomate a R$ 7,95 e R$ 8,49, respectivamente.

Em um dos supermercados, semana passada, o quilo estava R$ 2,99 e hoje R$ 6,99, um acréscimo de 200% (Foto: Divulgação)

Senhor Martin Wilbert havia pesquisado preço em outros estabelecimentos (Foto: Fábio Jorge)

Adriana Villalba vai substituir o tomate por outro legume. (Foto: Fábio Jorge)

O gerente Paulo Amaral diz que mesmo com a alta, as vendas continuam equilibradas. (Foto: Fábio Jorge)

Funcionários repondo o tomate, que, segundo o líder Sérgio Rodrigues, está com preço equilibrado. (Foto: Fábio Jorge)

Comentários