05/11/2013 10h32 – Atualizado em 05/11/2013 10h32

Prefeitura renova por mais dois anos contrato de limpeza terceirizada

Contrato é de R$ 6 milhões, o equivalente a mais ou menos R$ 250 mil por mês para limpeza de mais de 40 repartições públicas municipais

Da Redação

A Prefeitura de Três Lagoas, por meio de processo de licitação, ou seja, por meio de concorrência pública, com a participação de várias empresas do ramo, renovou recentemente o contrato de limpeza terceirizada com a Guima Serviços e Comércio Ltda., por mais dois anos.

O valor do contrato, de 24 meses, gira em torno de mais de R$ 6 milhões, o equivalente a mais ou menos R$ 250 mil por mês.

Além dos serviços de limpeza em todas as repartições públicas municipais, excluindo o setor da Secretaria Municipal de Educação, com todas as Unidades Escolares, o contrato inclui também todo o material de limpeza, utensílios necessários para essa finalidade e todo o material de higiene sanitária (papel higiênico e toalhas de papel descartável).

“Esta foi a melhor opção da Prefeitura de Três Lagoas, levando-se em conta o preço e as vantagens de contratação de um serviço terceirizado, que já deu provas de competência e idoneidade”, comentou o secretário de Governo, Walmir Marques Arantes.

“Se esse serviço não fosse terceirizado, a Prefeitura de Três Lagoas teria que arcar com muito mais investimentos de custeio, porque se colocarmos no papel o ônus da folha de pagamento desse pessoal, férias e décimo terceiro e demais encargos sociais, material de limpeza e outras despesas, concluímos que esta é a melhor saída para o equilíbrio das finanças do Município”, destacou Walmir Arantes.

“Nunca tivemos qualquer tipo de reclamação. Pelo contrário, são muitos os elogios do pessoal da Guima, pelos serviços que prestam em todas as repartições municipais, incluindo todas as Unidades de Saúde”, completou o secretário de Governo.

(*) Com informações de Assecom Prefeitura de Três Lagoas

O valor do contrato, de 24 meses,  gira em torno de mais de R$ 6 milhões (Foto: Divulgação/Assecom)

Comentários