28/02/2012 18h05 – Atualizado em 28/02/2012 18h05

Eldorado Brasil confirma produção de 5 milhões de toneladas de celulose até 2020

Entrevista coletiva aconteceu na manhã de hoje na capital paulista, onde o diretor presidente da Eldorado Brasil, José Carlos Grubisich falou das metas de produção da indústria até 2020 e sobre os planos de implantação de uma segunda linha de produção

Assessoria de Comunicação

A Eldorado Brasil divulgou hoje (28/02) seu programa de expansão industrial que prevê uma capacidade de produção de 5 milhões de toneladas de celulose por ano até 2020. A primeira linha de produção da Companhia entra em atividades em novembro deste ano e ocupa investimentos da ordem de R$ 6,2 bilhões. Para 2017, a Empresa já estuda implantação da segunda linha de produção e, para 2020, a terceira deverá entrar em operação. “A Eldorado Brasil é formada por equipes de alta performance, que atuam com foco em inovação e sustentabilidade. Vamos exercer um papel de liderança no mercado mundial de celulose já no curto prazo”, afirma José Carlos Grubisich, diretor presidente da Eldorado Brasil.

VERTICALIZAÇÃO

A recente incorporação da Florestal Brasil pela Eldorado Brasil, anunciada no final de 2011, verticalizou o processo produtivo e ampliou a competitividade da Empresa. Durante o ano passado, a Eldorado Brasil respondeu por um dos maiores programas florestais do País, ao todo foram 31mil hectares de florestas plantadas de eucalipto. Atualmente a Empresa possui 80 mil hectares de florestas destinadas para produção de celulose. Para este ano, a meta de plantio é de 35 mil hectares. A Eldorado já inicia suas atividades com um programa que prevê a certificação de todas as suas áreas florestais nos próximos anos.

LOCALIZAÇÃO ESTRATÉGICA

De acordo com o executivo, a localização estratégica da Fábrica é outra vantagem competitiva da Eldorado Brasil. Localizada em uma área de 900 hectares às margens do rio Paraná, a Empresa contará com três modais logísticos para receber matéria prima e escoar sua produção. “Nosso objetivo é ampliar o uso dos modais hidroviário e ferroviário que apresentam maior economia em escala e menor impacto ambiental. Para isso já adquirimos uma frota própria de locomotivas e vagões – especialmente desenvolvidos para a Eldorado Brasil -, que vão transportar a nossa celulose até um terminal próprio no porto de Santos e de lá para os principais mercados do mundo.”

GERAÇÃO DE EMPREGOS

Desde o início a Eldorado vem investindo no capital humano da Empresa e os resultados já podem ser percebidos no projeto industrial que já está com 68% das suas obras concluídas e no projeto florestal que inicia este ano a formação de uma equipe de colheita mecanizada. A Eldorado criará 2 mil novos empregos, o que deve beneficiar ainda mais o desenvolvimento na região leste do Estado de Mato Grosso do Sul.

Sobre José Carlos Grubisich

José Carlos Grubisich assumiu o comando da companhia em fevereiro de 2012. Natural de Itatinga, interior de São Paulo, Grubisich é formado em Engenharia Química e desenvolveu grande parte de sua carreira na Rhodia. Em 2002, assumiu a presidência da Braskem e recentemente respondia pela presidência da ETH Bioenergia S/A.

MEMBRO

O executivo é membro da Fundação Nacional da Qualidade (FNQ), da Fundação Abrinq pelos Direitos da Criança e Adolescente e da Fundação Aliança Francesa.

o diretor presidente da Eldorado Brasil, José Carlos Grubisich fala a jornalistas sobre metas da empresa na manhã de hoje na capital paulista (Foto: Assessoria de Comunicação)

Obras do complexo industrial da Eldorado Brasil estão com cronograma adiantado e depois de concluída, será a maior do mundo (Foto: Ricardo Ojeda)

A localização da planta do complexo industrial da Eldorado é estratégica, situa próximo ao rio Paraná e a BR 158 (Foto: Ricardo Ojeda)

Comentários