Homem era vizinho da vítima e confessou o crime

(*) Antonio Coca

Depois de vários dias de investigações e dezenas de testemunhas e suspeitos ouvidos, policiais da DEH (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes de Homicídios) de Campo Grande, prenderam na noite desta segunda-feira (14), um jovem de 21 anos acusado de sequestrar e matar Carla Santana Magalhães de 25 anos.

Carla desapareceu no dia 30 de junho, quando volta de um mercado nas proximidades da casa dela no bairro Tiradentes em Campo Grande e o corpo dela foi encontrado cinco dias depois, nas proximidades da residência onde morava, com sinais de violência sexual e tortura. Ela ainda apresentava perfurações no pescoço e em outras partes do corpo.

De acordo com as primeiras informações ao ser preso na casa dele esta noite, o jovem confessou o crime e disse que não tinha nenhum relacionamento com Carla, mesmo assim o caso é tratado como feminicídio, mas não está descartada a possibilidade da morte da jovem ter ligações com facções criminosas rivais que agem na região onde vítima e autor residiam.

O acusado foi preso pelo Choque. Quando os policiais chegaram ao local ele tentou fugir. Durante buscas no imóvel, a polícia encontrou um tecido com manchas de sangue; o jovem disse que o sangue era dele próprio.

O juiz da 2ª Vara do Tribunal do Júri de Campo Grande, Aluízio Pereira dos Santos, já atendeu ao pedido do delegado que preside o inquérito e decretou a prisão do suspeito, que não teve o nome revelado. O mandado é por feminicídio. O homem que não teve o nome revelado.

Na manhã desta terça-feira (15), a Polícia Civil de Campo Grande deverá dar detalhes sobre a investigação que levou a prisão do acusado e o motivo do crime.

Comentários