Williams Araújo

Prestígio

A Assembleia Legislativa prepara uma festa com toda pompa para homenagear, no dia 16 de dezembro, a despedida do deputado estadual Londres Machado (PR), que encerra sua carreira política depois de 11 mandatos consecutivos, um recordista nacional de atuação legislativa.

Antes disso, porém, o cardeal continua com o mesmo prestígio. Ontem mesmo, o governador eleito Reinaldo Azambuja (PSDB) deixou a reunião com os parlamentares acompanhado do republicano para conceder entrevista à imprensa.

Poder

Aliás, o grande prestígio político de Londres Machado ficou comprovado ontem, quando Reinaldo Azambuja chegou à entrevista coletiva junto com ele. Logo após a sabatina, o republicano foi para o seu gabinete, onde alguns deputados já o aguardavam, entre os quais, o correligionário Paulo Corrêa (PR).

A notícia que se tem é que a composição da Mesa Diretora para a próxima legislatura não fecha sem passar pelo crivo do cardeal.

Encerramento

A Assembleia Legislativa deve encerrar as atividades da atual legislatura no dia 18 de dezembro, uma quinta-feira. Fontes da Casa disseram à coluna que regimentalmente o fechamento deveria ocorrer no dia 22, mas como cairá numa segunda-feira, será antecipado para esta data.

Até lá, os parlamentares vão apreciar o projeto do orçamento de 2015 e as mudanças a serem feitas no próximo governo.

Hilário

Se alguém encontrar por aí um homem só de pijama, não pense que se trata de um louco fugindo do hospício. É um fugitivo, sim, mas do Gaeco, que está na sua cola por ter metido a mão da grana do povo. A pessoa em questão é o presidente da Câmara de Vereadores de Ribas do Rio Pardo, um dos responsáveis pela farra das diárias investigada pelo Ministério Público.

Para não cair nas garras da polícia, teve que sair pela porta dos fundos e cair na quiçaça em trajes menores.

Causa própria

Eleitos pelo povo para fiscalizar a aplicação do dinheiro público, parte dos legisladores se confunde e prefere guardar a grana em suas contas pessoais. É o que tem acontecido pelo país afora.

Em terras sul-mato-grossenses não é diferente. Basta ver o exemplo de Ribas do Rio Pardo e Naviraí, literalmente na ‘boca do povo’, sem qualquer trocadilho, é claro. E olha que tem mais casos por aqui passando da hora de explodir.

Comentários