15/08/2014 16h16 – Atualizado em 15/08/2014 16h16

Uma operação da PRF, iniciada ontem à noite na área urbana da BR-262, em Três Lagoas, pretende coibir os abusos na rodovia, especialmente quanto ao comportamento dos condutores e condições dos veículos

Léo Lima e Ricardo Ojeda

A décima terceira edição do Motoshow terá segurança total não somente no espaço Arena Mix, local onde será realizado o evento por três dias, mas também no entorno, como a rodovia BR-262 que serve a área, dando acesso a veículos oriundos, inclusive, de outros estados. “Vamos agir com tolerância zero com os condutores embriagados”, garantiu o Inspetor José Ramão Mariano Filho, da Polícia Rodoviária Federal (PRF) em entrevista ao Perfil News no final da manhã de hoje (15). Ele afirmou ainda que a operação, denominada Falco, não foi deflagrada especificamente por conta do evento, mas pela necessidade de desenvolvimento de ações que visem coibir os abusos na rodovia.

Desde ontem à noite, 30 viaturas da PRF, com reforço de aproximadamente 20% do efetivo total da Instituição em Mato Grosso do Sul, a Operação Falco teve início. Além disso, estão sendo utilizadas tecnologias disponíveis, como o uso de radares fotográficos digitais para coibir o excesso de velocidade, etilômetros para combater a embriaguez ao volante, corpo de motociclistas da PRF e ônibus multimissão, onde será oferecido o cinema rodoviário com fins educativos aos condutores que forem flagrados cometendo alguma infração.

“O condutor flagrado em alguma infração, enquanto espera a avaliação da documentação, por exemplo, vai assistir um ‘filminho’ sobre o que cometeu”, enfatizou o inspetor Mariano.

FLUXO MAIOR

Como já priorizado pela Polícia Rodoviária Federal em outras ações onde há um aumento do fluxo e concentração de pessoas às margens da rodovia, como em festas e exposições agropecuárias, considerando a realização de um evento voltado ao público de motociclistas como o que acontecerá em Três Lagoas, a PRF promove o reforço concentrado no policiamento ostensivo preventivo em locais e horários estratégicos a fim de garantir aos usuários das rodovias federais, participantes ou não do evento, segurança, conforto e fluidez no trânsito. “Queremos garantir que o usuário da rodovia, que não tem nada a ver com o evento, tenha a tranquilidade de seguir sua viagem de forma tranquila”, observou Mariano.

O inspetor colocou ainda que a denominação (Falco) é a propósito da velocidade desenvolvida pelas aves de rapina, chegando até 300 km/hora. “O excesso de velocidade tem feito muitas vítimas, inclusive fatais, nas rodovias”, alertou o policial rodoviário federal.

BALANÇO

Na primeira noite da Operação Falco, realizada nas proximidades da estátua do Cristo Redentor, segundo o inspetor Mariano Filho, foram efetuadas 335 fiscalizações a veículos e condutores, aplicadas 109 multas; 12 CNHs foram apreendidas; 08 autos de infração a motoristas alcoolizados e dois foram presos, e 08 veículos retidos.

“Seremos implacáveis com os condutores alcoolizados; tolerância zero”, reafirmou Mariano, concluindo que “não temos nenhuma intenção de prejudicar o evento [Motoshow] e sim ajudar na segurança”.

Ao lado do delegado da PRF de Três Lagoas, inspetor Gratão, o inspetor Mariano explica ao jornalista Ricardo Ojeda a real razão da operação Falco (Foto: Léo Lima)

Mariano garantiu que a operação pretende coibir os abusos na rodovia, em apoio à organização do Motoshow (Foto: Ricardo Ojeda)

Comentários