29/01/2019 13h19

Segundo nota oficial, três bovinos precisaram ser submetidos à eutanásia porque estavam em estado de exaustão e com fraturas de membros, mas vários outros foram alimentados e hidratados até que se consiga o resgate.

Gisele Berto

Em nota enviada à imprensa, a Polícia Rodoviária Federal explicou as razões de ter abatido animais ontem, 28, durante sobrevoo pela área devastada pelos rejeitos de mineração da Vale, em Brumadinho, MG.

A notícia, amplamente divulgada hoje, 29, dava conta de que agentes da PRF dispararam contra animais atolados em locais de difícil acesso e com pouca chance de resgate.

De acordo com o comunicado, a equipe de agentes estava acompanhada de veterinários, que analisavam e faziam triagem dos casos. Três bovinos, exaustos e com membros fraturados, precisaram ser eutanasiados.

Entretanto, em outros casos, “diversos animais foram alimentados e hidratados para que houvesse a manutenção básica da vida até que fosse possível a mobilização de recursos de resgate”.

Acompanhe abaixo a nota enviada à imprensa:

A Polícia Rodoviária Federal – PRF, a partir da tragédia que se abateu em Brumadinho (MG) no último dia 25 de janeiro, tem se solidarizado com todas as vítimas e participado efetivamente das ações humanitárias naquela região.

A PRF está compondo o Comando de Operações, integrada e cooperando com as demais instituições componentes da força tarefa, que é coordenada pela Defesa Civil do Estado de Minas Gerais.

Com participação prevista para um período de oito dias, com possibilidades de prorrogação para atender as demandas, e com o emprego de um helicóptero configurado para resgate e transporte, além de apoio por terra, a PRF tem desenvolvido uma série de ações que vão desde o transporte de medicamentos, água, alimentos etc, até apoio às forças de segurança do Brasil e de Israel.

As equipes da PRF participaram de diversas ações de resgates de pessoas e em todas elas tiveram o apoio das outras instituições envolvidas na força-tarefa, especialmente o Corpo de Bombeiros Militar do estado de Minas Gerais. Infelizmente em alguns casos a missão foi o transporte de corpos de vítimas.

Além dos regates de vítimas presas à lama ou ilhadas, a PRF tem participado do resgate de animais também vítimas do rompimento da barragem. Vários destes animais, em destaque para os bovinos e caninos, encontram-se atolados no grande volume de lama que tomou conta da região.

No dia de ontem (28), equipe aérea da PRF fez sobrevoos na região à procura destes animais. Seguindo os protocolos estabelecidos para este tipo de situação, a equipe estava acompanhada de veterinários que faziam análise e triagem dos casos.

No percurso, diversos animais foram alimentados e hidratados para que houvesse a manutenção básica da vida até que fosse possível a mobilização de recursos de resgate.

Lamentavelmente, durante a triagem dos animais foram encontrados três casos específicos de bovinos atolados na lama, em estado de exaustão e com fraturas de membros. Após análise da equipe veterinária, considerando a impossibilidade de adoção de outras medidas, foi tomada a decisão pela eutanásia daqueles animais. O procedimento foi orientado e supervisionado pela equipe veterinária sob a coordenação do comando da operação de resgate.

A PRF reafirma seu compromisso com a ética, a técnica e a responsabilidade no cumprimento de suas missões nas rodovias federais, nas áreas de interesse da união ou onde quer que se faça necessária em apoio a outros órgãos e instituições.



Comentários