11/09/2018 15h35

Redação

Nos primeiros 11 dias de setembro foi registrado um incêndio florestal por hora em Mato Grosso do Sul, informou o Programa de Queimadas do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais). Levantamento do órgão aponta que no período ocorreram 300 incêndios até está terça-feira (11) – 27 incêndios por dia.

Além disso, o número que já é mais da metade do que registrado durante todo o mês passado (442). Ainda conforme o programa, em setembro do ano passado foram registrados 2.084 incêndios. Em 10 anos, a média de registro no mês é de 1.751 casos.

O alto número de casos está diretamente ligado com o calorão e a baixa umidade do ar. Sete cidades de Mato Grosso do Sul enfrentaram umidades relativa do ar extremamente baixa na segunda-feira (10). Em Coxim, o índice foi de 9%. Em Costa Rica e Chapadão do Sul, a umidade chegou a 10%. Cassilândia e Amambai tiveram registros de 11% e Água Clara e Bela Vista, 12%.

A umidade relativa do ar abaixo dos 12% é considerada de nível emergencial. Conforme classificação da meteorologia, o estado é de alerta quando os índices estão abaixo dos 20%.

A Organização Mundial de Saúde estabelece que índices inferiores a 60% não são adequados para a saúde humana.

Além disso, as altas temperaturas registradas em Mato Grosso do Sul na tarde de segunda-feira colocaram duas cidades do Estado dentre as mais quentes do país. No ranking do Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia), Sonora ocupou a 2ª posição e Coxim a 8ª.

(*) Campo Grande News

Comentários