21/12/2012 09h47 – Atualizado em 21/12/2012 09h47

Da Redação

Com a aproximação das comemorações de fim de ano, aumentam em muito as compras realizadas pela internet. Em busca de conforto e comodidade é cada vez maior o número de consumidores que optam pelo comércio eletrônico. No entanto, o consumidor deve tomar algumas precauções para ter certeza de que não vai ficar na mão na hora de presentear os amigos e familiares. O ideal é fazer os pedidos com alguma antecedência, para que os presentes cheguem a tempo das festas.

Devido a esta tendência, o Procon de Mato Grosso do Sul dá algumas dicas aos consumidores para não se prejudicarem. O superintendente do órgão, Alexandre Rezende, orienta o internauta a tomar alguns cuidados com o site escolhido para realizar as compras, para que futuramente não tenha surpresas desagradáveis. “O consumidor antes de realizar suas compras precisa pesquisar informações sobre a credibilidade do site escolhido e verificar se não há reclamações da empresa – para isso o consumidor pode acessar o ranking dos sites com maior numero de reclamações no site do Procon”, ressalta Alexandre.

Ele ressalta ainda a importância de observar no site se constam todos os dados do fornecedor. “Outra dica é que o internauta fique atento em relação aos dados da empresa, se o site não tiver todas as informações disponíveis é mais um motivo para desconfiar, já que para a abertura da empresa é necessário o endereço fixo da empresa”, informa o superintendente.

O consumidor deve ficar atento ao prazo de entrega, para que o presente não chegue depois das festividades. A informação do prazo de entrega deve constar no momento da compra para que o consumidor possa fazer seu planejamento. Outro fator importante a ser observado refere-se a despesas adicionais que podem ocorrer com fretes ou taxas.

O Código de Defesa do Consumidor (CDC) não especifica prazos exatos para entrega de mercadorias, mas nos casos em que o fornecedor estipula um prazo de entrega e falha, a situação é caracterizada como descumprimento da oferta. Por isso é importante que o consumidor registre o prazo prometido pelo site para provar o que foi prometido pela empresa.

“Nestes casos, o consumidor tem três opções: exigir o cumprimento forçado da entrega; ter a compra cancelada ou receber um produto similar. No caso do cancelamento, o ressarcimento do comprador deve ser feito de imediato, com juros e correção monetária”, acrescenta Alexandre Rezende.

Ele alerta que produtos eletrônicos como MP3 players, videogames, telefones, etc. devem receber uma atenção maior, por serem caros e muito procurados. “Os produtos eletrônicos são os que mais despertam a atenção do consumidor, entretanto, o cuidado também deve ser maior já que em caso de fraude e se a entrega não for concluída, o consumidor terá um grande prejuízo. Desconfie de ofertas espetaculares, promoções imperdíveis e valores muito abaixo do mercado”, orienta o superintendente.

Na hora de pagar, se a opção for o cartão de crédito, o cuidado precisa ser maior. De acordo com o Código de Defesa do Consumidor, a empresa tem a obrigação de apresentar outras formas de pagamento, estabelecendo que as compras realizadas fora do estabelecimento comercial podem ser canceladas em até sete dias.

É preciso ficar atento às medidas adotadas pelo fornecedor para garantir a privacidade dos dados, principalmente no caso dos documentos pessoais, e se a página exibida apresenta um cadeado. Outra recomendação é usar uma senha difícil de descobrir, mesmo que seja preciso anotá-la, e não a repassar a outras pessoas.

O Procon orienta a guardar todos os dados das compras: número do protocolo, confirmação do pedido, todas as mensagens trocadas com o fornecedor, e outras informações que comprovem a compra e suas condições, o que facilita o processo de reclamação, se houver algum imprevisto.

(*) Com informações de Notícias MS

Comentários