25/01/2019 07h39

Concessionária vai analisar como será feito o mutirão e deve comunicar à população na próxima semana

Gisele Berto

Pressionada por movimentos populares e pela imprensa, a Elektro respondeu ao convite do Procon de Três Lagoas e mandou representantes para se reunir com órgão de defesa do consumidor e dar explicações sobre os aumentos considerados abusivos nas contas de energia elétrica.

A reunião aconteceu ontem, 24, e, além do Especialista comercial da Elektro, Fabio Costa, e do Gerente Amarildo Gandolphi, participaram o Assessor Especial do Procon, Mohamed Jarouch, e o vereador Apóstolo Ivanildo, relator da CPI da Câmara dos Vereadores que investiga o relacionamento da Elektro com o consumidor. Também estiveram representantes dos movimentos populares.

Em entrevista ao Perfil News Jarouche disse que a Elektro está ciente da insatisfação das pessoas e que tem acompanhado as manifestações nas mídias sociais. A concessionária alega que o aumento de cerca de 24%, autorizado em agosto do ano passado, reflete com mais intensidade agora, época em que o consumo aumenta, e por isso as pessoas “sentem” mais.

“Mas o Procon não vê dessa forma”, disse Jarouche. “Apresentamos casos para eles de contas que triplicaram de valor de um mês para outro. Há necessidade de verificar a razão de ter ocorrido essa distorção de valores”, afirmou o assessor do Procon.

Foi sugerida a criação de um mutirão para verificar caso a caso o que pode ter ocorrido. “A Elektro sugeriu que essas reclamações fossem levadas ao escritório da Munir Thomé. Mais uma vez, discordamos. Lá já são feitos os atendimentos convencionais, consumidores pedindo ligação de luz e outras demandas do dia a dia. Não podemos misturar as coisas. Sugerimos a criação de um espaço exclusivo para isso”, disse Jarouche.

Os representantes da Elektro afirmaram, então, que levarão a solicitação à central e que até o começo da semana que vem devem convocar uma coletiva de imprensa para anunciar como e onde será feito esse mutirão.

CASO A CASO

O mutirão analisará individualmente as contas que os consumidores julgarem abusivas. “Técnicos da Elektro farão a análise caso a caso para ver o que pode ter acontecido e, se necessário, enviarão profissionais à casa da pessoa para tentar identificar o problema”, disse Jarouche.

Mas a Elektro não fará a análise dos casos sozinha. A CPI da Câmara contratará um técnico para participar desse mutirão e ele servirá como uma espécie de auditor que acompanhará de perto as justificativas da concessionária.

“Agora, assim que esse mutirão for implantado, é importante que a população participe. Não adianta ficar nas redes sociais e, na hora que precisa, não aparecer”, lembrou Jarouche.

Reunião definiu a criação de um mutirão para análise individual das contas consideradas abusivas pela população, Foto: Divulgação Prefeitura.

Comentários