23/05/2015 12h01 – Atualizado em 23/05/2015 12h01

Diante da falta de acordo por parte do Governo de Mato Grosso do Sul, a classe manifestou-se a favor da greve, que começa na próxima quarta-feira (27)

Fábio Jorge

Os trabalhadores da Educação em Mato Grosso do Sul anunciaram greve na Rede Estadual de Ensino, por tempo indeterminado, a partir da próxima quarta-feira (27)
Com mais de 90% dos votos dos delegados presentes na Assembleia Geral da FETEMS (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul), profissionais da educação de todo Estado negaram a proposta apresentada pelo Governo do Estado. Participaram do pleito, mais de 450 professores e funcionários do administrativo das escolas estaduais.

De acordo com o presidente da FETEMS, Roberto Magno Botareli Cesar, a luta é pelo cumprimento da lei e pela valorização dos trabalhadores em educação.

A FETEMS anunciou que o governo não apresentou soluções para as três propostas em questão. Sobre a implantação do piso nacional por 20 horas, que deveria entrar em vigor até 2018, o executivo estadual propôs que a reivindicação poder ser aplicada apenas em 2022

Duas outras questões que foram negadas pelo governo é o reajuste salarial para o administrativo e demais servidores das escolas, além do pagamento de 1/3 de hora-atividade para os professores, referente a 2013, que nem sequer foi pautado na reunião, por parte da administração estadual. .

Diante da falta de acordo, a categoria decidiu entrar em greve, fechando 362 escolas e deixando cerca de 270 mil alunos sem aula.
“Contamos com a compreensão e o apoio de toda a sociedade, porque lutamos pela mesma causa, a educação pública de qualidade. Para isso, são necessários investimentos, infraestrutura adequada, salários dignos, valorização dos profissionais em educação”, finalizou Roberto Magno.

(*) com informações Fetems

Participaram da votação mais de 450 professores e funcionários do administrativo das escolas estaduais. (foto: Divulgação)

Comentários