13/03/2012 21h59 – Atualizado em 13/03/2012 21h59

André defende reposição de aulas para não prejudicar alunos

Professores iniciam greve de três dias para ‘reflexão’ sobre principais demandas dos trabalhadores em educação e cobrar cumprimento da Lei do Piso

Da Redação*

O governador André Puccinelli voltou a defender que os alunos da rede estadual de ensino não poderão ser prejudicados com a greve de três dias para discussão e reflexão de diversos temas defendidos pelos profissionais da educação. A greve é uma adesão ao movimento nacional e começa a partir desta quarta-feira (14).

“Nos reunimos com eles [Fetems] e dissemos que as aulas terão que ser repostas e para que não haja corte de ponto, já tem que estar na programação dizendo quando serão repostas e com a anuência da Secretaria de Estado de Educação”, informou o governador à imprensa durante o lançamento do Curso Especializado para Mototaxista e Motofretista, no Centro de Convenções Rubens Gil de Camilo.

Na semana passada, o governador ouviu o posicionamento da diretoria da Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul (Fetems) sobre a greve e manifestou preocupação com a necessidade de garantir o atendimento contínuo e de qualidade aos alunos da Rede Estadual de Ensino. André chamou a atenção também para a observância da legislação por parte dos trabalhadores.

Segundo os sindicalistas, a greve é para discutir também sobre um Plano Nacional que inclua 10% de recursos do orçamento federal para a área.

A GREVE

De acordo com a Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação), as escolas públicas de nível básico paralisarão em protesto “ao descaso de grande parte dos gestores públicos em não garantir educação de qualidade socialmente referenciada para todos”.

Nesta quarta-feira os grevistas farão panfletagens, passeatas e atos públicos em todos os municípios do Estado. Na Capital, haverá reunião entre a Comissão de Educação da Assembleia Legislativa e a comissão da greve nacional da Fetems, às 14h30, na Assembleia.

Na quinta-feira, haverá passeata, com trabalhadores em educação de todo o Estado, saindo às 8hs da Praça do Rádio. Após passeata entrega de documentos reivindicando o cumprimento da lei do piso no Tribunal de Justiça. Haverá ainda a entrega do prêmio aos prefeitos que cumprem o piso.

Na sexta-feira, haverá debates em todo o Estado sobre o Plano Nacional de Educação (PNE).

A Fetems prevê paralisação de 80% das redes públicas de todo o Estado. Em nível estadual a principal reivindicação da Fetems é o cumprimento da Lei do Piso Nacional na íntegra, pois o Estado paga o piso, mas não concede 1/3 de hora-atividade.

“A greve marcará o início de uma ampla jornada de luta dos trabalhadores por educação pública, gratuita, universal, laica, de qualidade (com equidade), e por valorização profissional, devendo um de seus desdobramentos culminar na denúncia de governadores e prefeitos – desrespeitadores da Lei do Piso – à Organização Internacional do Trabalho (OIT) e a outras instituições internacionais, além dos órgãos do Poder Judiciário nacionais”, divulgou a Fetems.

Governador comenta greve dos professores em cerimônia de lançamento de curso de capacitação de mototaxista. (Foto: Rachid Waqued)

Comentários