26/07/2017 17h02

A categoria decidiu aceitar a proposta de aumento salarial de 7,64 % prevista em Lei federal. Decisão foi tomada em uma assembleia em Campo Grande

Flávio Veras

Profissionais da Rede Estadual de Ensino de Mato Grosso decidiram por não decretar greve na tarde de hoje (26). A decisão foi tomada durante uma assembleia realizada na sede da Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul (Fatems), em Campo Grande, que contou com todos os presidentes dos Sindicatos dos Trabalhadores em Educação (Sinted).

De acordo com o Sinted, o impasse se deu após a negativa do Governo Estadual de não repassar o reajuste anual previsto pela Lei 11.738 de 2008. O aumento, que é calculado pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), este ano ficou 7,64%.

Porém, o Governo recuou e estabeleceu que o aumento ficaria 2,94% para setembro 4,7% em Dezembro, somando os 7,64% previstos em Lei. Segunda a presidente do sindicato, Maria Laura Castro, apesar da decisão dos profissionais de Três Lagoas em permanecerem em greve, a decisão da reunião na Fetems é soberana. “Ficamos insatisfeitos, claro, mas cabe a nós acatarmos o que a maioria decidiu. Nós queríamos continuar com a paralisação não somente pelo aumento salarial, mas também devido a outras demandas que o Estado não vem cuidando e observando”, explicou.

Conforme informações da Fetems, integram a categoria no estado: 9 mil professores efetivos, 9 mil temporários e aproximadamente 6 mil administrativos.

Comentários