30/07/2008 15h30 – Atualizado em 30/07/2008 15h30

Foi mais de um mês de trabalho, de 12 de maio a 17 de junho. A Secretaria Municipal de Saúde realizou uma varredura em todas as escolas de Bataguassu para detectar casos de tracoma, uma doença causada por bactéria que pode levar à cegueira. Crianças a partir dos seis anos de idade, professores e funcionários das escolas passaram pelo teste. Ao todo, foram detectados 281 casos da doença. A Secretaria aguarda agora o envio do medicamento, pelo Ministério da Saúde, para tratar os casos encontrados.

Os principais sintomas da doença, segundo a enfermeira e coordenadora do núcleo de saúde do município, Cristina Aragão, são coceira, ardência, vermelhidão e sensibilidade à luz. Em estágio avançado, a tracoma pode até causar cegueira. “É uma doença contagiosa por meio de contato com a bactéria. Está relacionada com a higiene. Alguém que tem a doença coça o olho e em seguida toca em um objeto, sem lavar as mãos. A próxima pessoa que tocar naquele objeto e levar a mão ao olho poderá pegar a doença”, explicou a enfermeira.

O teste foi feito também na família dos pacientes detectados nas escolas. “Se alguém da casa tem a bactéria, os outros moradores também podem ter e é preciso tratar de todos”, disse a enfermeira. Foi encontrado um caso de tracoma fora da escola, em um pai de uma criança.

O tratamento é feito com apenas um comprimido, mas o acompanhamento do paciente tem que ser feito pelo período de um ano e meio, para verificar se o problema foi resolvido.

Acuidade visual

Durante as buscas pelos casos de tracoma, a Secretaria Municipal de Saúde aplicou também o teste de acuidade visual em todas as crianças. O teste de acuidade visual aponta deficiência na visão, que pode comprometer o rendimento escolar. De todos os alunos que passaram pelo teste, 50 apresentaram problemas visuais e foram encaminhados para o exame oftalmológico, com o médico que atende pelo município, Rogério Matheus Morais.

Comentários