Médicos e enfermeiros que pegaram a Covid-19 enquanto atuavam na linha de frente de combate à doença são xingados e ameaçados nas redes sociais; alguns pensam em abandonar a profissão

Em meio a grave crise relacionada à Covid-19 médicos e profissionais da saúde não têm poupado energia para atender de forma eficiente e salvar vidas, contribuindo assim para a amenização da pandemia em Mato Grosso do Sul e em todo país. No entanto, parte da população tem retribuído estes esforços de maneira bastante hostil. Em Dourados, médicos que foram contaminados pelo vírus são destratados e discriminados, sendo ofendidos pessoalmente e em redes sociais.

A situação se encontra crítica e o Conselho Regional de Medicina de Mato Grosso do Sul (CRM/MS) vê o caso com bastante preocupação, já que esta postura por parte das pessoas tem gerado um grande mal-estar entre os profissionais, fazendo com que alguns até repensem em prosseguir com suas atividades em hospitais e postos de saúde.

“É inadmissível que ocorra este tipo de comportamento. Ninguém deve passar por tamanho constrangimento principalmente no momento em que estamos vivendo. Temos recebido relatos de médicos que estão bastante preocupados com sua integridade física e mental e já cogitam se afastarem de suas atividades por receio de represálias”, declarou o presidente do CRM/MS, Maurício Jafar.

“Além da preocupação do alto risco de contaminação em desenvolver as atividades médicas, quando somos afetados ainda temos este agravante de hostilização por parte da sociedade, ou seja, qual o estímulo dos médicos e dos profissionais da saúde em saírem de suas casas para serem linha de frente no combate à pandemia? Se esta situação continuar certamente em breve não haverá um único profissional disposto a atuar”, esclarece o presidente.

Para evitar que casos assim ocorram o CRM/MS solicitará aos profissionais médicos que receberam as injúrias, que entrem em contato com a entidade relatando as ocorrências, para que o conselho possa tomar as providências cabíveis.

Comentários