29/07/2008 10h09 – Atualizado em 29/07/2008 10h09

Assessoria de Comunicação

O edital para seleção de novos projetos do Programa de Democratização Cultural Votorantim está com inscrições abertas até o dia 8 de agosto. O grande diferencial desta iniciativa é que se trata da única seleção exclusiva para projetos comprometidos com a promoção do acesso à cultura para o público.

A partir de um diagnóstico sobre a realidade da cultura no País, o Instituto Votorantim detectou um grande descompasso na cadeia cultural: de um lado a produção, amplamente beneficiada com recursos públicos e privados; e de outro, a difusão e o usufruto dessa produção, ainda insipientes e pouco prestigiados.

Com isso, em 2006 foi lançado o Programa de Democratização Cultural Votorantim, que anualmente seleciona projetos de viabilização do acesso à cultura por meio de editais públicos. São apoiados projetos que tenham como objetivo a fruição, experimentação e vivência de conteúdos culturais pela população, principalmente jovens de 15 a 29 anos. “O objetivo é promover o acesso a manifestações artístico-culturais de todas as áreas, em todas as regiões do País, seja por meio de oficinas, circuitos, mostras, caravanas, apresentações abertas”, explica Lárcio Benedetti, gerente de desenvolvimento sociocultural do Instituto Votorantim.

Aberto desde o dia 24 de abril, a 3ª seleção pública do Programa de Democratização Cultural Votorantim tem recebido inscrições de quase todos os Estados brasileiros. Serão investidos neste edital R$ 4 milhões, com limite de R$ 600 mil por projeto. A divulgação dos selecionados acontece em novembro.

Para se inscriver é necessário acessar o site www.institutovotorantim.org.br/democratizacaocultural. Os proponentes precisam ter, antes do término das inscrições, o número de registro no Programa Nacional de Apoio à Cultura (PRONAC), pelas Leis Rouanet ou do Audiovisual.

O Programa de Democratização Cultural Votorantim apóia atualmente 50 projetos culturais, que beneficiam mais de 200 municípios de todas as regiões brasileiras.

Democratização Cultural por todo o País

O balanço dos primeiros meses de inscrições da 3ª seleção pública do Programa de Democratização Cultural Votorantim, mostra que a região Sudeste é a que mais encaminhou propostas: 61% delas, seguida pelo Sul e Nordeste, com 13% e 12% respectivamente; Centro-Oeste, com 7% e por último a região Norte, com 5%. São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais são os Estados mais participativos por enquanto, com 30,2%, 20,9% e 9,7% das propostas encaminhadas, respectivamente.

Até o momento, as áreas que mais enviaram projetos foram artes cênicas (18%) e música (17%); projetos multiárea – aqueles que agregam mais de uma área cultural em suas atividades –, somam 12% do total de inscritos.

“Temos experiências bem-sucedidas de todos os portes e nos mais diversos Estados brasileiros. Historicamente, a participação das regiões Norte e Nordeste é menor, contudo, esperamos aumentar o número de inscrições dessas localidades. Um dos objetivos do Programa de Democratização Cultural é justamente descentralizar nossa atuação por todas as regiões do País”, analisa Lárcio Benedetti.

Alguns números sobre o acesso à cultura no Brasil

Quase metade dos jovens brasileiros (15 a 29 anos) nunca foram ao cinema e 3/4 nunca foram a teatros ou museus, segundo pesquisa da Unesco, publicada em 2006;

De acordo com uma pesquisa realizada em 2006 pelo CEBRAP (Centro Brasileiro de Análise e Planejamento), 97,6% da classe C e 99% das classes D/E da região metropolitana de São Paulo nunca assistiram a uma apresentação de música erudita. Cinema detém o melhor índice de acesso, mas a pesquisa mostra que 67,4% da classe C nunca assistiram a uma sessão;

Dados do IBGE mostram que apenas 9% das cidades brasielras possuem salas de cinema;

A última edição do Guia Brasileiro de Festivais de Cinema mostra que dos 72 filmes brasileiros produzidos em 2006, 32 (44%) não atingiram a marca de 10 mil espectadores.

Casos de sucesso apoiados pelo Programa de Democratização Cultural Votorantim

Na Paraíba, a Oficina Audiovisual para Deficientes Auditivos está viabilizando inclusão audiovisual de jovens surdos.”Em parceria com 20 jovens de 14 a 25 anos da Zona da Mata, criamos sinais em Libras para termos técnicos que ainda não existiam como ‘claquete, montagem e fusão’ e a idéia é que sejam incorporados definitivamente à Língua Brasileira de Sinais”, revela Rafael Coelho, coordenador do projeto.

Esses beneficiados raramente têm acesso a produção cinematográfica, por falta de salas na região, os próprios programas de TV são compreendidos limitadamente devido à surdez e Coelho avalia que a própria educação formal ainda não diferencia e qualifica esse ensino específico, daí a importância de iniciativas como essa.

O pequeno município de Guararema, localizado a 80 quilômetros de São Paulo, é pólo de um importante evento cultural, o Festival de Cinema e Meio Ambiente de Guararema. A cidade alia preservação ambiental à difusão cultural e, por isso, promove em seu festival de cinema uma série de atividades ecológicas. No futuro, o projeto visa transformar Guararema em um centro cultural e de difusão da produção cinematográfica brasileira contemporânea. A ação chega a atingir oito mil pessoas em cada uma das suas edições, ou seja, um terço da população local. Este ano, o Festival acontece na última semana de agosto. Saiba mais em www.festiguararema.com.br.

Outra experiência de sucesso é a Expedição Vaga Lume, que promove o acesso ao livro e à leitura em remotas comunidades rurais da Amazônia Legal Brasileira, com a formação de mediadores de leitura entre os interessados da própria comunidade beneficiada, mobilização de parcerias locais e produção de livros artesanais. Esse trabalho permite que professores, lideranças comunitárias e técnicos das Secretarias de Educação se transformem em multiplicadores, que disseminam esse trabalho em outras comunidades. Saiba mais em www.vagalume.org.br.

A turnê Homenagem a Tom Jobim, que aconteceu entre maio e junho deste ano, percorreu 16 capitais do País, com o objetivo de promover o acesso da população à música instrumental brasileira. Elogiado pela crítica em suas apresentações internacionais, o projeto leva apresentações da obra de Tom Jobim, interpretadas pelos músicos Paulo Moura e Armandinho. Os shows aconteceram em locais públicos, todos com acesso gratuito. Para mais informações, acesse: www.afrobossanova.com.

O projeto Caravana Cultural na Escola leva oficinas, animações e exposição de fotos a diversas escolas, alunos e professores do Rio Grande do Sul. São desenvolvidos, ainda, trabalhos de técnicas vocais e circenses, palestras e shows, além da construção de instrumentos com material reciclado. Todo este trabalho visa tornar o aprendizado mais lúdico e facilitar o acesso a diferentes manifestações artísticas. Saiba mais em www.caravanaculturalnaescola.com.br.

Comentários