18/05/2015 15h05 – Atualizado em 18/05/2015 15h05

“Por Onde Andas Leitor” está na 3ª edição e encontros acontecem quinzenalmente

Assessoria

A Administração Municipal, por meio da Secretaria de Educação e Cultura (SEMEC), iniciou na última quinta-feira (13) o projeto “Por onde andas leitor?”. A oficina inaugural ocorreu no Centro Cultural Professora Irene Marques Alexandria, com apresentações de música, contação de história e declamação de poesias. Esta é a 3ª edição do projeto de Formação Continuada para professores, que tem como objetivo a discussão sobre a importância das narrativas como parte de experiência de conhecimento humano e formação da identidade profissional do professor.

Nesta edição, as idealizadoras do projeto, as coordenadoras pedagógicas da SEMEC Annete Lopes Sejópoles Modesto e Vera Lúcia Medeiros, trabalham com o tema “Foco nas Leituras do Professor e na Mediação de leitores”.

Os encontros do projeto acontecem quinzenalmente até o final de 2015, no Centro de Educação Infantil Lilian Márcia, tendo como público alvos os professores do Ensino Fundamental I e Professores e atendentes da Educação Infantil. O próximo encontro está previsto para acontecer no dia 18 de junho.

Segundo a coordenadora Vera Medeiros, também é meta do projeto “ampliar o repertório leitor dos participantes, promovendo uma reflexão aprofundada a respeito da estética da recepção da literatura infanto-juvenil. Assim como desenvolver e aprimorar técnicas para a contação de histórias, suscitando uma reflexão aprofundada acerca do próprio processo de construção de conhecimentos que se define ininterrupto, dentro da concepção do letramento”.

As oficinas, segundo a coordenadora Annete Sejópoles, visam propiciar diferentes situações de contato com a arte da narração e leitura da ficção para crianças e jovens que incentivem ações educativas, culturais, sociais e estéticas. “As atividades do projeto sempre foram pensadas com base nas ideias de Edmir Perrotti, pesquisador, escritor e professor de Literatura, que defende a existência de um professor leitor mais sensível ao efeito estético provocado pela leitura do texto literário. Por isso, valorizamos a arte de ler e contar histórias para as crianças”, explicou a coordenadora.

Dentre outros objetivos, como acrescentou Annete, são os estudos pedagógicos, que a coordenadora avaliou como “imprescindíveis para levantamentos hipotéticos na visão histórico-cultural da Educação e da leitura e a real aplicabilidade dentro das instituições educativas, além de repensar a prática do ensino da leitura, como também investir na formação do “ser”, enquanto sujeito e cidadão engajado com múltiplas questões éticas e humanas”.

O projeto conta o apoio do Secretário de Educação Mário Grespan e da Assesssora Educacional e Pedagógica Jussara Fernandes.

ESPAÇOS DE VIVÊNCIAS

Foram projetados Espaços para Vivências Leitoras (comunidade, familiares e amigos dos participantes e educadores) nas áreas de leitura e literatura, a discussão entre artistas, escritores e pesquisadores. “Buscamos por estratégias de leituras com interesse na formação continuada de professores, bibliotecários e afins. Focamos, antes de tudo, a formação de leitores adultos proficientes, formadores de futuros leitores de textos ficcionais sensíveis e engajados: as crianças”, disse Annete.

Para tanto, o projeto privilegiou em seu “estofo,” artistas e obras contemporâneas, que já fazem parte do acervo das Escolas Públicas distribuídas pelo Programa Nacional Biblioteca da Escola (PNBE), como os escritores Marina Colasanti, Bartolomeu Campos de Queirós, Ricardo Azevedo, Nelly Novaes Coelho, Elias José, Laura Sandroni, Marisa Lajolo entre outros.

Como explica a coordenadora, a obra escolhida além de ganhar “empatia” com o público alvo, ainda facilita ações propostas no projeto em questão como: a literatura oral três-lagoense, a contação de histórias, testemunhos de leitores e registros orais e escritos.

ABERTO AO PÚBLICO

Em outubro será realizado um encontro literário na Lagoa Maior, pais, famílias e crianças das comunidades escolares municipais e estaduais, assim como a comunidade em geral poderão prestigiar o trabalho desenvolvido durante o ano.

(*) Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Três Lagoas

Os encontros do projeto acontecem quinzenalmente até o final de 2015. (Foto: Assessoria)

Comentários