11/07/2017 15h01

Atualmente são nove equipes de Florestinhas das duas Unidades de Campo Grande realizando Educação Ambiental na Capital e Interior

Redação

As crianças e adolescentes do Projeto Florestinha de Campo Grande realizaram, durante o primeiro semestre do ano letivo de 2017, trabalhos de Educação Ambiental para 18.309 alunos de 79 escolas públicas e privadas em 12 municípios do Estado.

Além da parte social, Educação Ambiental tem sido prioritária nos trabalhos desenvolvidos pelo Projeto Florestinha. Em 2015 foram atendidos 11.862 alunos da Capital e Interior e em 2016 foram atendidos 21.705. Neste ano, os grupos do Projeto Florestinha atenderam escolas dos municípios de Campo Grande, Rio Brilhante, Três Lagoas, Ladário, Corumbá, Iguatemi Rochedo, Água Clara, Camapuã, Terenos e Ribas do Rio Pardo.

Atualmente são nove equipes de Florestinhas das duas Unidades de Campo Grande realizando Educação Ambiental na Capital e Interior. A Unidade do Projeto do Parque Cônsul Assaf Trad é também um Centro de Educação Ambiental (CEA/FLORESTINHA) de recepção de estudantes, em parceria com a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Gestão Urbana (SEMADUR) da Capital.

Os trabalhos são realizados em forma de oficinas temáticas, pelas crianças e adolescentes do Projeto Florestinha, supervisionados por um Policial Militar Ambiental. As oficinas temáticas são:
1 – Reciclagem de papel, com palestra sobre os problemas relacionados aos resíduos sólidos.

2 Visitação ao museu de animais e peixes empalhados, com palestra sobre fauna, pesca, atropelamentos de animais silvestres, tráficos, etc.

3 Apresentação do teatro de fantoches, com peças sobre as questões ambientais, como: águas, desmatamentos, incêndios florestais e resíduos sólidos etc.

4 Montagem artificial do CICLO DA ÁGUA, com palestras relacionadas a temática das águas no planeta.

5 Casa da Energia – com palestra sobre economia energia, matriz energética e fontes renováveis, etc.

6 Plantio de mudas nativas, com palestra sobre desmatamento, erosões e importância da flora, etc.

7 Palestra Geral – palestra executada por um Florestinha para a sensibilização dos estudantes sobre os vários temas ambientais, de forma que os alunos entendam que o ambiente é um complexo e que afetar o seu equilíbrio gera problema de qualidade de vida, tendo em vista que tudo que usamos, comemos, bebemos, respiramos vem do ambiente.

Além das oficinas e palestras são realizadas discussões de vários temas ambientais entre os alunos e as crianças do Projeto Florestinha, supervisionadas pelos Policiais Militares Ambientais.
Importante também, é que ao final das discussões sobre cada tema, são entregues aos professores folhetos patrocinados pela empresa MSGAS, que é parceira no Projeto de Educação ambiental, para que eles continuem as discussões com os alunos. Ou seja, o Projeto Florestinha leva a educação ambiental não formal de forma lúdica e convoca os professores para que continuem no ensino formal os trabalhos voltados às questões ambientais, no sentido de se conseguir a transversalidade do tema ambiente, prevista pela Lei Federal 9795/1995 (Lei da Política Nacional de Educação Ambiental.

Os Trabalhos continuam no segundo semestre. Já estão agendadas mensalmente escolas de Corumbá, Ladário e Três Lagoas. Também haverá atendimento do Projeto Educação Ambiental Fronteira, o qual visa a atender sete municípios da região de fronteira. São eles: Iguatemi que já foi atendido no final do mês passado, e serão atendidos Mundo Novo, Eldorado, Tacuru, Japorã, Paranhos e Itaquiraí

(*) Assessoria de Comunicação PMA

Os trabalhos são realizados em forma de oficinas temáticas (Foto/Assessoria)

Comentários