Ela pediu socorro aos funcionários de um posto de saúde, que chamaram a polícia; o homem foi preso

Uma mulher de 39 anos, que vinha sendo vítima de violência doméstica e cárcere privado, aproveitou uma saída até o posto de saúde, para vacinar a filha, para pedir socorro. O caso aconteceu na manhã de hoje, 22, em Três Lagoas.

O caso foi atendido pela equipe do Programa Mulher Segura – PROMUSE – da Polícia Militar. Eles foram acionados pelos funcionários do posto de saúde, que teriam sido procurados pela vítima.

De acordo com testemunhas, o casal tinha ido até o posto de saúde para vacinar a filha quando, aproveitando uma distração do marido, a mulher conseguiu fugir e entrou em uma sala para pedir ajuda aos funcionários.

Ela contou que estava sendo mantida em cárcere privado em seu endereço, falou onde ficava o local e afirmou que passava por constantes agressões. Logo o marido encontrou a mulher e eles, rapidamente, foi embora.

Os funcionários avisaram a polícia, que foi até a casa. Lá, viram que o local era todo trancado com cadeados nos portões e tinha todas as janelas trancadas.

Depois de chamar por várias vezes, os policiais ouviram a voz da vítima. Ela disse que estava trancada e sem acesso a parte externa do imóvel. Neste momento os policiais pularam o muro para entrar no imóvel.

Após algum tempo a vitima conseguiu abrir a porta dos fundos da casa. Aos policiais ela disse que era constantemente ameaçada pelo marido e que alguns dias ele a agredira. Ela apresentava lesões no braço.

Ela contou, ainda, que o marido a mantinha trancada, juntamente com a filha do casal, de nove meses, e que sempre levava com ele todos os documentos da esposa e da criança.

Os policiais, então, foram até o trabalho do homem, onde ele recebeu voz de prisão. O caso será investigado pela Delegacia de Atendimento a Mulher.

SERVIÇO
Se você é vítima de violência de doméstica não se cale, ligue 190 ou para o funcional do PROMUSE  (67) 99927-3099 (WhatsApp).

Comentários