03/03/2019 12h37

Movimento quer a paralisação do projeto que despejará esgoto no Rio Paraná

Gisele Berto

Um protesto fechou, na manhã deste domingo, 3, a ponte rodoferroviária sobre o rio Paraná em Aparecida da Taboado. Os manifestantes são contrários à obra do emissário de esgoto que a Sanesul está construindo na região e que despejará dejetos no Rio Paraná. A via já foi reaberta.

Segundo o site Costa Leste News, uma reunião no último dia 14 no Sindicato Municipal dos Trabalhadores em Educação (Simted) reuniu a população da cidade para convocar uma audiência pública contra as obras. O caso já se arrasta há pelo menos 6 anos, quando a empresa de saneamento básico do Estado de MS (Sanesul) deu entrada nas licenças ambientais para o emissário, que está posicionado há 200 metros da área de balneário do Simted.

A audiência pública será realizada no dia 19 de março. Antes, haverá uma carreata pela cidade. Os cidadãos de Aparecida do Taboado alegam que o emissário poluirá o Rio Paraná, causando prejuízos ao meio-ambiente e, consequentemente, aos ranchos, pousadas e à piscicultura.

A Sanesul alegou que está fazendo obras de ampliação do sistema de esgotamento sanitário no município e que é “extremamente necessária’ a alteração do emissário para o Rio Paraná, porque “o Córrego Rondinha [onde são depositados os dejetos atualmente] não possui capacidade e suporte para recebimento de efluentes tratados provenientes da duplicação da Estação de Tratamento de Esgoto, conforme estudos técnicos criteriosamente realizados”.

A Sanesul ainda desmentiu que a empresa irá poluir o Rio Paraná, alegando que o descarte é feito de forma apropriada e somente após o tratamento adequado e garantiu que “diariamente são feitas análises técnicas nos laboratórios da Sanesul que comprovam a eficácia de todo o processo”.

Pessoas se reuniram com faixas e cartazes sobre a ponte para protestar contra o emissário de esgotos da Sanesul. Foto: Divulgação

Comentários