07/05/2013 10h58 – Atualizado em 07/05/2013 10h58

Ministro da Saúde detalha ações do órgão no HU e no Hospital do Câncer. Secretária de Saúde nega que tenha autorizado transferência de serviços.

Da Redação

A portaria que determina a criação da força-tarefa no Hospital do Câncer (HC) e no Hospital Universitário (HU), em Campo Grande, foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) desta terça-feira (7). A publicação é assinada pelo ministro da Saúde, Alexandre Padilha.

Segundo a portaria, o objetivo é dar continuidade, com medidas complementares, ao relatório de auditoria do Departamento de Auditoria do Sistema Único de Saúde (Denasus) e acompanhar, controlar e avaliar as ações e serviços de saúde, “com garantia da segurança do paciente, na rede
pública e privada de atenção oncológica em Campo Grande”.

A força-tarefa, de acordo com a publicação, deve realizar auditoria complementar em até 30 dias. A equipe do ministério terá que constituir comitê de acompanhamento direto aos serviços públicos e privados da rede oncológica com as secretarias Estadual e Municipal de Saúde.

MINISTRO

Padilha afirmou que o ministério nunca deixou de apurar e fazer auditorias. “Em 2011, nós concluímos a primeira, tínhamos outras duas. Tanto é que foi possível parar com esquemas de cobrança por fora, ressarcir parte dos recursos e interromper algumas ações”.

Ainda de acordo com o ministro, será aberta uma linha específica de apuração sobre o uso e prescrição dos medicamentos.

ESTADO

A secretária estadual de Saúde, Beatriz Dobashi, negou que tenha autorizado a transferência dos serviços de oncologia do Hospital Universitário para a clínica Neorad, do médico Adalberto Siufi.

“Não, não aconteceu isso. A gente tem bem separado. A gestão da oncologia é do município. Nós vamos participar com dois auditores da força-tarefa e ajudar na apuração das denúncias. Ajudar a montar os serviços para que eles funcionem bem. Vamos apoiar o HU para retomar o serviço, apoiar a Santa Casa e o Regional, que é nosso”, afirmou a secretária.

O setor de radioterapia, do HU, foi fechado em 2005 e voltou a funcionar no último dia 30 abril. Nesse período, os pacientes do HU eram encaminhados para o Hospital do Câncer e, de lá, para a clínica particular Neorad. Em relatório, a Polícia Federal concluiu que se tratava de um esquema entre Adalberto Siufi e o ex-diretor do HU, José Carlos Dorsa.

Em nota, o Ministério da Educação, responsável pelo HU, diz que a transferência dos serviços de oncologia foi decidida pelos gestores das secretarias Estadual e Municipal de Saúde.

(*) Com informações de G1 MS

Comentários