01/02/2012 07h46 – Atualizado em 01/02/2012 07h46

Governador do estado volta atrás após notícia de atraso de salários

Midia Max

Durante a manhã, a repórter Mayara Sá, do jornal do Midiamax, esteve com o presidente da Fetems, Roberto Magno Botareli Cesar, que relatou o resultado de reunião pessoal com o governador do estado André Puccinelli, ontem (30) à tarde.

Segundo a Fetems, estavam presentes na reunião o governador André Puccinelli, o presidente da entidade, o vice-presidente, o secretário de finanças da Fetems, o secretário da Secretaria de Fazenda do Estado, a chefe da folha de pagamento do Estado e um funcionário da Casa Civil.

Hoje pela manhã, o presidente da Fetems disse à reportagem do Midiamax que Puccinelli informara a entidade de classe que os salários dos professores não seriam pagos no dia primeiro, como o usual, e que o pagamento seria efetuado entre quinta e sexta-feira (2 e 3).

Enquanto a Fetems era ouvida, a repórter Graziela Rezende esteve por várias horas na governadoria do Estado, insistindo junto à assessoria de Imprensa, para que fosse recebida e tivesse a posição oficial do governo do Estado sobre a questão. No entanto, não houve retorno à informação solicitada.

A prova de que a repórter esteve no local é a entrevista com o deputado Geraldo Resende, sobre sua candidatura à prefeitura de Dourados, depois que saiu de audiência com o governador, publicado no Midiamax de hoje às 13h39.

Depois da publicação da reportagem do Midiamax, às 10h09, o governo do estado divulgou, em torno do meio dia, em seu site oficial, que vai pagar os salários dos professores amanhã.
Além disso, a nota acusa o Midiamax de “tentar jogar a administração contra o conjunto dos servidores, especialmente num ano eleitoral”.

Pelo comportamento correto da redação prova-se que a acusação é infundada.

Presidente da Fetems rebate as acusações de Puccinelli

O presidente da Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação do Mato Grosso do Sul), Roberto Magno Botareli Cesar, depois de ver a notícia do Governo do estado, disse nesta terça-feira (31), com veemência, que lamenta as acusações de que a Fetems estaria mentindo a respeito da reunião que a entidade de classe teve ontem (30) com o governador André Puccinelli (PMDB).

“Ontem por volta das 17h30 recebi uma ligação pessoal do governador convocando a direção da Fetems para reunião, tendo em vista que os pagamentos dos servidores públicos estariam suspensos. Subimos para a reunião, eu, juntamente com o professor Jaime, a professora Elaine de Três Lagoas, e fomos à Casa Civil, e juntamente com o governador André Puccinelli, Mario Lorenzetto, que é secretário de Fazenda, Neno, que é assessor da governadoria, e o pessoal da folha de pagamento. Nos foi dito que por problemas técnicos não seria possível o pagamento ser realizado no 1° dia útil conform compromisso firmado com a Fetems”.

Roberto Magno frisou que foi pego de surpresa ao ver a notícia no site do Governo do Estado de que a federação estaria mentindo e que foi o próprio governador que afirmou a ele que o pagamento não seria pago na data de amanhã.

O presidente da Fetems ainda disse que ao contrário do que o site do governo publicou que “mentiras divulgadas pela Fetems e pelo Midiamax, cujo único objetivo é tentar jogar a administração contra o conjunto dos servidores, especialmente num ano eleitoral” quem é candidato a cargos políticos é o grupo do governador.

“Roberto não é candidato a nada. Quem tem candidato é o Governo do Estado. Se existe uma jogada política não é por parte da Federação, é sim por parte do Governo”.

Comentários