31 C
Três Lagoas
sexta-feira, 26 de novembro, 2021

PULSO FIRME

26/01/2011 20h43 – Atualizado em 26/01/2011 20h43

A prefeitura tem que exigir que os donos cuidem dos seus imóveis

Não custa nada por equipe na rua para multar determinadas pessoas que emporcalham a cidade

.

Caldeirão do Bolsão

AGORA É OFICIAL

Governo federal divulga portaria que todos os órgãos de saúde dos estados e municípios terão de informar ao Ministério da Saúde, compulsoriamente e no prazo de 24 horas, as mortes e os casos graves da dengue. A decisão faz parte da Portaria 104, que havia sido anunciada na semana passada pelo ministro Alexandre Padilha.

SEM ENROLAÇÃO

A Portaria foi publicada na quarta-feira (26), no Diário Oficial da União. Agora as autoridades na área de saúde não podem mais enrolar para emitir nota informando sobre a evolução da doença. Esse ano, a dengue volta mais perigosa ainda, a do tipo 4, que já começa a preocupar as autoridades.

SEM PREOCUPAÇÃO

Infelizmente pelo andar das coisas, em Três Lagoas parece que as pessoas não estão muito preocupadas com essa doença. Para constatar tal afirmação basta dar uma voltinha de meia hora pela cidade para ver terrenos sujos, lixos e sujeiras espalhadas nas vias públicas.

CARTÃO DE VISITA

Não precisa ir tão longe não. Na rua Orestes Prata Tibery, a aproximadamente uns 20 metros da Lagoa Maior, o cartão de visita da cidade, um supermercado recém inaugurado despejou um lixão na via pública.

INDIGNAÇÃO

A situação é tão vexatória que causou indignação nas pessoas que passam pelo local, principalmente àquelas que praticam caminhadas na Lagoa Maior. O pior disso tudo é que ninguém toma nenhuma providência.

NEM AÍ

A reportagem do site Perfil News fez a sua parte. A equipe foi ao local registrou a degradante situação, publicando matéria com várias fotos. Infelizmente até o final da tarde, nenhuma autoridade da prefeitura ligada aos serviços da área urbana e da saúde tomaram nenhuma providência para coibir tal abuso.

PROCEDIMENTO INCORRETO

O promotor do Meio Ambiente, Antonio Carlos Garcia de Oliveira prometeu que iria até o local constatar in loco. O que não dá para aceitar uma empresa com aquela estrutura utilizar-se desse procedimento incorreto.

OBSTRUINDO A PASSAGEM

O pior disso tudo, é que as águas das chuvas estão levando o lixo para as bocas de lobos instalados na circular da lagoa. Sacolas plásticas, frutas estragadas, caixas de papelão e de madeira estão obstruindo a passagem das águas nas bocas de lobo.

ATRATIVOS

Isso sem contar com a proliferação de insetos, como baratas, ratos, além dos temíveis mosquitos que transmitem e dengue. No local a água fica armazenada em recipientes plásticos jogados no lixo. É um atrativo para o mosquito proliferarem.

SEM ESTILO

A prefeita Márcia Moura recentemente disse ao titular do Caldeirão que 2011seria o inicio da “era” Márcia. Ela queria dizer que agora implantaria seu estilo de administrar. Só que já decorreu quase um mês e até agora não estamos vendo algo diferente.

PULSO FIRME

Quem sabe essa situação não seria um bom momento da prefeita mostrar que tem pulso firme. Não custa nada por equipe na rua para multar determinadas pessoas que emporcalham a cidade. A prefeitura tem que exigir que os donos cuidem dos seus imóveis, construindo calçadas e muros. Se todos tomassem a iniciativa a cidade estaria com aspecto mais agradável.

ESPECULAÇÃO

Só para ter uma idéia, na entrada da cidade, para quem vem de Campo Grande, o mato já tomou conta de tudo. Vários terrenos desprovidos de muros e calçadas estão tomados pela sujeira, enquanto o dono espera a valorização da área.

TERRA DE NINGUÉM

Quanto ao supermercado, embora esteja gerando empregos e renda não dá o direito de fazer o que bem entender. Existem regras. O lixo deve ser embalado de acordo com as normas sanitárias. Desse jeito, os empresários estão agindo como que Três Lagoas fosse terra de ninguém. Com a palavra a prefeita Márcia Moura.

EXPLICANDO

“Os altos salários dos motoristas do Congresso têm lógica. Eles transportam cargas perigosas e explosivas”. Explicação dada pelo Milton Gomes da Silveira, ao comentar o toque da coluna anterior que comparou salário de um motorista do Congresso com de um comandante de uma fragata.

NA LIDERANÇA

Tudo indica que o deputado eleito Eduardo Rocha (PMDB) possa assumir a liderança do PMDB na Assembleia. Caso se concretize será o segundo três-lagoense a assumir a função. Na legislatura passada, o cargo pertencia a Akira Otsubo.

QUATIZADA

Nos próximos meses deverão chegar a Três Lagoas mais dez mil novos trabalhadores. Esses homens vão atuar na construção da Eldorado, Sitrel e outras unidades industriais. Imaginem o caos social quando esse pessoal chegar à cidade?

REMEMBER

Num passado não tão distante, quando as obras do complexo IP/VCP estavam a todo vapor, as ocorrências policiais aumentaram, talvez pelo aumento precoce da densidade populacional da época.

SÓ PROMESSAS

Infelizmente no tocante à segurança pública não estamos vendo nenhuma ação concreta por parte do governo do Estado. O que se ouve até agora é só promessas. Vamos aumentar o efetivo. Vamos entregar mais viaturas. Esquecem eles, que para aumentar o efetivo, e novas viaturas o processo é lento e burocrático.

BOA PAUTA

Tá aí uma boa pauta para os nobres vereadores se lembrarem quando subir na tribuna da Câmara. Afinal, são eles os legítimos representantes da sociedade.

ESSA É DE LASCAR

Essa e de lascar. O impagável Zé Simão publicou essa pérola em sua coluna n Folha. Tem um projeto de um deputado do Mato Grosso do Sul: gago paga metade da conta telefônica! Gago devia pagar meia conta em motel! Já imaginou um gago gozando: “Totototô quaquaquase gogogozando, pepeperaí”. Duas horas no mínimo!

PROJETO SEMELHANTE

O projeto em questão foi apresentado pelo deputado Diogo Tita. Sua colega, Cassiá Carpes do legislativo gaúcho apresentou projeto semelhante. No Brasil, segundo estimativa da Associação Brasileira de Gagueira (Abragagueira), existem dois milhões de gagos no Brasil.

Comentários
MATÉRIAS RELACIONADAS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

error: Este Conteúdo é protegido! O Perfil News reserva-se ao direito de proteger o seu conteúdo contra cópia e plágio.