22/03/2018 08h27

Willams Araújo

Que surpresa ?

É certo que o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) considere surpresa eventual aliança com o MDB de André Puccinelli. No entanto, essa possibilidade existe desde o início de seu governo, já que o maior entusiasta da reconciliação entre os dois grupos políticos, o presidente da Assembleia Legislativa, Júnior Mochi, articula forte visando à composição da chapa majoritária integrada pelos principais líderes políticos do Estado. Nesse caso, o ex-governador disputaria o Senado. A não ser que a surpresa aventada pelo tucano seja aquela desagradável que muitos adversários desejam, deixando o MDB vulnerável a ponto de vir de graça para o palanque do PSDB.

Grude

Enquanto a cúpula do PSDB se aproxima do MDB, Reinaldo Azambuja estaria operando para afastar qualquer possibilidade de acordo de aliança com o ex-prefeito de Campo Grande e presidente regional do PTB, Nelsinho Trad, cujo interesse é concorrer ao Senado na chapa tucana. Os comentários pelos corredores palacianos são de que a situação jurídica do petebista não agrada ao governador, que teve de engolir a ida dele (Nelsinho) a ato político do PSDB, em Ivinhema, para “anunciar” sua candidatura ao cargo pela chapa majortária.

Lobby do batom

Simone Tebet (MDB-MS) comemora muita o fato de a CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) do Senado ter aprovado nada mais que sete projetos da pauta feminina que buscam reforçar o combate à violência contra a mulher. A parlamentar agradeceu o apoio da presidência da Casa, que determinou que os projetos seriam terminativos na comissão, indo portanto diretamente para a Câmara dos Deputados, sem a necessidade de serem votados no Plenário. “Dos sete projetos, cinco são de autoria dos senadores da República. E isto é uma coisa a se comemorar, numa Casa em que somos [as mulheres] apenas pouco mais de dez por cento”, disse.

Ôh, Glória!

O deputado federal Zeca do PT comemora muito a vitória, na quarta-feira, do seu glorioso Botafogo por 3 a 2 contra o Vasco, em jogo válido pela semifinal do segundo turno do Campeonato Carioca. Torcedor fanático pelo time de General Severiano, o líder petista espera com grande expectativa por um triunfo maior durante a decisão na final da competição entre seu time de coração e o próximo adversário – entre Flamengo ou Fluminense. Por outro lado, o ex-deputado estadual Walter Carneiro teve ter dormido com a cabeça quente com a derrota vascaína.

Vacas magras

O PSDB decidiu destinar R$ 70 milhões para a candidatura de Geraldo Alckmin à Presidência, um quarto da receita declarada pelo presidenciável tucano na última eleição, Aécio Neves (R$ 275 milhões, atualizados pela inflação). O montante estabelecido para o governador paulista, que é o presidente nacional do partido, é o teto permitido pelo TSE. Segundo o tesoureiro do partido, deputado Silvio Torres (SP), foi estipulado que, dos R$ 210 milhões disponíveis para campanhas eleitorais, R$ 70 milhões serão usados em candidaturas a governos estaduais e ao Senado. Os restantes R$ 70 milhões custearão campanhas dos deputados federais e estaduais.

Comentários