Na última semana, foram diversos focos nos bairros do Município e, diante destas infrações, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Agronegócio (SEMEA) vai reforçar as campanhas de conscientização e educação ambiental

Não é de hoje que o período de estiagem redobra as preocupações dos órgãos públicos ambientais em Três Lagoas. As queimadas de lixo, folhagens e terrenos baldios são comuns nesta época e, além da questão ambiental, a Prefeitura de Três Lagoas também está alerta sobre a gravidade de implicações às pessoas com doenças respiratórias, idosos e crianças.

PROBLEMAS RESPIRATÓRIOS

Na última semana, foram diversos focos nos bairros do Município e, diante destas infrações, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Agronegócio (SEMEA) vai reforçar as campanhas de conscientização e educação ambiental.
A diretora de Meio Ambiente, Maysa Costa, menciona que diante da pandemia COVID-19, as queimadas podem intensificar os problemas respiratórios, acarretando em um número maior as pessoas do grupo de risco.

“Estamos diante de uma doença, cujo os sintomas incluem a falta de ar e tosse seca, problemas comuns às pessoas que tem contato com fumaça devido às queimadas. A população está preocupada com o Coronavírus e pode até associar essas características ao vírus. Insistimos na prevenção e na conscientização de que queimada é crime ambiental e prejudica a saúde”, explica Maysa.

O trabalho de conscientização serve, em primeiro momento, com um alerta aos riscos que as queimadas podem causar ao meio ambiente, vida animal e humana. Os cidadãos identificados por colocar fogo em lixos, terrenos baldios e outros serão multados.  

SERVIÇO

A SEMEA trabalha com denúncias. O cidadão pode colaborar no enfrentamento às queimadas ao identificar algum morador ateando fogo em lixo, galhadas e terrenos com mato alto ligando no telefone (67) 3929-1248. A multa por queimadas em terrenos baldios é de 100 UFIM’s por lote. Atualmente, 1 UFIM equivale a R$ 5,10.

Comentários