07/05/2013 10h12 – Atualizado em 07/05/2013 10h12

A Rede Estadual de Educação de Mato Grosso do Sul vai receber este ano investimentos de R$ 21 milhões do Ministério da Educação

O Valor corresponde a aquisição de 15 mil tablets de 9,7 polegadas, mais 50 novos ônibus escolares e 26,1 mil conjuntos escolares

Ricardo Mendes

De acordo com a secretária de Estado de Educação, Nilene Badeca, os tablets serão assegurados por meio do Plano de Metas da pasta, o Plano de Ações Articuladas (PAR), e dependem ainda de licitação. Badeca que também é presidente do Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed) acompanhou o governador André Puccinelli na reunião com o ministro da Educação Aloízio Mercadante, em Brasília, no final da tarde desta segunda-feira (6), quando foram assegurados estes investimentos.

O MEC informou no ano passado que o valor de cada um destes tabletes saiu por R$ 461,99 para atender a região Centro-Oeste, mas Nilene Badeca disse que o valor pode sofrer variações este ano.

Considerando-se o preço da licitação do ano passado serão investidos R$ 6,9 milhões.

Também estão assegurados mais 50 ônibus escolares, investimentos que totalizam cerca de R$ 12 milhões.

Na semana passada a presidente Dilma Roussef fez a entrega de 50 veículos, em solenidade realizada em Campo Grande. Também foram prometidos mais 219 ônibus.

Outro compromisso do ministro é com a entrega de 26,1 mil conjuntos escolares que representam investimento próximo dos R$ 4 milhões.

A secretária reforçou que “são para esse ano, sim”, ao ser indagada sobre o prazo para estes materiais chegarem ao Estado.

PISO

Outro assunto da reunião foi o piso nacional dos professores. Puccinelli defendeu a proposta que foi discutida em Campo Grande, pela qual o piso de R$ 1.567,00 deve ter um reajuste de 8%.

“Fizemos um acordo no Estado, agora estamos propondo este acordo ao Brasil: que o piso seja reajustado pelo Índice Nacional de Preço ao Consumidor (INPC) mais metade da variação real do custo Fundeb [Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação].

Isso representa reajuste em torno de 8%”, enfatizou Puccinelli, após a reunião com o ministro, explicando que se a proposta que tramita no Congresso Nacional não for aprovada, o reajuste poderia chegar ser entre 20% e 22%, porém várias prefeituras não teriam condições de arcar com este custo, por isso sua preocupação em buscar um índice que não inviabilize as gestões municipais.

OBRAS

sobre os trâmites administrativos do empréstimo de R$ 1,2 bilhão para obras de infraestrutura no Estado.

“Temer me chamou pra ver a questão determinada pela presidente da República [Dilma Rousseff] sobre o empréstimo. Disse que o BNDES é uma linha de crédito e que o Pró-Investe é outra linha de crédito. Expliquei em quais estágios está um e em qual esta a outra.

Ele quer nos ajudar e disse que vai atuar”, destacou Puccinelli, concluindo que “a presidente fiou muito satisfeita com a visita a Mato Grosso do Sul”.

Puccinelli, presidente Dilma Roussef e o ministro da Educação Aloízio Mercandante na entrega de 300 ônibus escolares (Foto: Edemir Rodrigues)

Comentários