10/11/2006 17h14 – Atualizado em 10/11/2006 17h14

Terra

Ao entrar no quinto dia da greve de fome, os sentenciados que cumprem pena no Centro de Readaptação Penitenciária (CRP) de Presidente Bernardes, São Paulo, recusaram, no início da tarde desta sexta-feira, 42 refeições – um sugestivo cardápio composto por arroz à grega, feijão, salada de abobrinha cozida e carne picada à milanesa. Diante da recusa do líder do Primeio Comando da Capital (PCC), facção criminosa que age dentro e fora dos presídios, Marcos Willians Herbas Camacho, e dos outros detentos, a direção da unidade decidiu doar o alimento a uma entidade que cuida de internos que se recuperam dependências química. Outros dois presos, que também estavam em greve, foram transferidos para a Penitenciária Maurício Henrique Guimarães Pereira, a P-II de Presidente Venceslau, pois tiveram inspirados seus períodos de internação no Regime Disciplinar Diferenciado (RDD). A comida, que é preparada na cozinha da penitenciária I de Presidente Bernardes, que fica no mesmo complexo que o CRP, foi levada até a inclusão. Um funcionário passou de cela em cela perguntando se os presos queriam receber a alimentação, ou se pretendiam permanecer recusando. Diante da recusa, as marmitas foram colocadas em uma perua Kombi e levadas até a Associação Prudentina Recuperando Vidas (Aprev), entidade mantida através de doações e promoções beneficentes e que mantém atualmente de 44 internos. Mesmo depois de a Secretaria de Administração Penitenciária (SAP) instalar dois exaustores eólicos no pavilhão do CRP, os sentenciados insistem em manter a greve de fome. Manifestação Através do serviço de inteligência, autoridades descobriram que um ônibus com mulheres de presos deveria chegar na região no início da manhã e que elas fariam uma manifestação nas imediações do presídio. A Polícia Militar Rodoviária reforçou o policiamento com vários bloqueios nas estradas e recebeu orientação para reter o veículo em caso de suspeitas. Porém, embora a polícia não tenha abordado nenhum ônibus, a manifestação não aconteceu. Rumores apontam que os organizadores abortaram a manifestação ainda durante a madrugada. Jumbo No CDP de Presidente Bernardes, o preso não tem como estocar alimentos extras, pois o ‘Jumbo gordo’ (sacola com alimentos) só tem entrada permitida na 1ª visita do mês. É autorizado a entrada de três maçãs, três pêras, 150 gramas de frios, um pão de forma cinco envelopes de suco em pó, um quilo de açúcar, uma barra de 250 gramas de chocolate, 500 gramas de bolacha (sem recheio) e 400 cigarros sem as embalagens (colocados em um saco plástico). Além disso, o preso pode receber na mesma visita 50 folhas de papel, 50 envelopes, 50 selos, duas canetas e dois aparelhos de barbear descartáveis.

Comentários