16/04/2014 10h39 – Atualizado em 16/04/2014 10h39

Com 13 votos a favor e 4 contra, relatório foi aprovado por não constatar irregularidades

Larissa Lima com Assessoria

Após denúncias de possíveis irregularidades na licitação e no valor do contrato para o transporte dos alunos da zona rural, foi aprovado ontem (15), na sessão da Câmara Municipal, o relatórios de investigação.

De acordo com o Presidente da Comissão de Educação, o vereador Nilo Câmara (PDT), não foi comprovado irregularidades no processo de licitação. Conforme consta no relatório, o valor empenhado de R$ 8.074,185,28 não superou o valor de licitação e a quilometragem rodada foi de 1.327.991 km.

PROPOSTAS

À Secretaria Municipal de Educação, foram sugeridas algumas medidas para a melhora no atendimento aos alunos, que podem ser utilizadas em licitações futuras.

Foi proposto que os veículos sejam equipados com bebedouros de água ou similares; um veículo auxiliar para buscar os alunos nas fazendas, deixando-os nas vias principais ou desmembramentos das rotas mais longas para hidratação dos alunos; um monitor em cada veículo para auxiliar o embarque e desembarque dos alunos, bem como abrir e fechar porteiras; que os veículos sejam equipados por rastreadores (sistema GPS) para aferição e controle das rotas em tempo real.

Devido ao grande desgaste sofrido pelos veículos em decorrência da má conservação das estradas, que são, em sua maioria, de cascalho ou areia, a proposta é de que as próximas licitações exijam veículos do ano de 2012, e parte da frota seja de veículos zero quilômetro.

COMISSÃO DE EDUCAÇÃO

Além de Nilo Câmara, também fizeram parte da Comissão os vereadores Marcus Bazé (DEM) e Klebinho (PPS). Durante o período de investigação, os três acompanharam o trajeto que os alunos percorrem, da zona rural até a escola, permitindo assim, a análise das condições enfrentadas pelos estudantes.

Presidente da Comissão de Educação, Nilo Câmara, pediu o arquivamento da denúncia por não haver irregularidades (Foto: Assessoria)

Comentários