18/11/2006 11h43 – Atualizado em 18/11/2006 11h43

Estadão

O goleiro Rogério Ceni confirmou sua presença na partida deste domingo, contra o Atlético Paranaense, na qual o São Paulo pode conquistar seu quarto título brasileiro, e afirmou que estará em campo não apenas por causa da possibilidade de ver o time ser campeão, mas porque está totalmente recuperado de uma contratura muscular na coxa direita.

“Não adianta só estar presente, tenho que estar lá no gol para pegar as bolas que vierem”, avisou o goleiro, que se contundiu no dia 7, ao tentar um drible enquanto treinava na linha, e ficou de fora dos dois últimos jogos, as vitórias contra Botafogo e Goiás que deixaram o São Paulo em condições de ser campeão com duas rodadas de antecedência – o time está com 73 pontos, contra 66 do Internacional.

Rogério admitiu que, independentemente da proximidade de conquistar o título, ficou chateado por se contundir. “A sala de fisioterapia é um lugar horrível, a pior coisa para um atleta é estar machucado. Você pode errar num lance, perder um jogo, mas não poder jogar é muito mais triste”, disse.

Ele aproveitou para elogiar o reserva Bosco, que atuou nas duas últimas partidas, e também a diretoria do clube. “O time que faz um planejamento para ser campeão tem que ter pelo menos dois grandes jogadores em cada posição. E o Bosco, sempre que foi preciso, entrou bem e manteve o padrão de jogo no gol”, afirmou.

A volta de Rogério Ceni, último jogador a sair de campo no treino deste sábado, é uma das duas alterações que o técnico Muricy Ramalho faz em relação à equipe que venceu o Goiás. A outra é a volta de Danilo, que substitui o zagueiro André Dias no retorno da equipe ao esquema com apenas dois zagueiros.

Um rachão marcou o último treino, e os jogadores permanecem concentrados no CT para a partida, que será às 16 horas deste domingo e deve levar mais de 70 mil pessoas ao Morumbi. Mesmo com um empate ou uma derrota o São Paulo pode ser campeão, desde que o Internacional obtenha o mesmo resultado diante do Paraná, em Curitiba.

Comentários