07/07/2017 08h26

O protótipo foi premiado pela Junior Achievement e considerado uma das 11 invenções mais inovadoras do Brasil no Desafio Criativos da Escola 2016

Redação

O projeto Urupet na Estrada, que apresentou o amassador portátil de garrafas PETs desenvolvido por alunos da Escola do Sesi de Campo Grande (MS) a alunos das outras escolas da rede e catadores de materiais recicláveis, chegou na tarde desta quinta-feira (06) a Aparecida do Taboado (MS). A ação encerra o roteiro, que começou na segunda-feira (03) por Corumbá, passou por Maracaju e Dourados na terça-feira (04), por Naviraí na quarta-feira (05) e por Três Lagoas na manhã de ontem (06).

O protótipo foi premiado pela Junior Achievement e considerado uma das 11 invenções mais inovadoras do Brasil no Desafio Criativos da Escola 2016. De acordo com o professor de Empreendedorismo da Escola do Sesi de Aparecida do Taboado, Giovaine da Silva Souza, a apresentação foi de grande valia para os alunos. “Veio ao encontro daquilo que já estamos trabalhando em sala de aula, o espírito empreendedor, encontrar soluções onde a maioria das pessoas enxergam problemas. Foi uma iniciativa muito legal do Sesi, que vai ser muito útil para todos que participaram”, elogiou.

Para o aluno do 9º ano do Ensino Fundamental, Matheus Petrus Ferreira de Assis, o Urupet ajuda o meio ambiente porque faz com que mais garrafas sejam recicladas e ajuda os catadores a complementarem a renda. O aluno do 8º ano do Ensino Fundamental da Escola do Sesi de Campo Grande, Pedro Martins Rocha, um dos responsáveis pela criação da ferramenta, ressaltou que o projeto pode ajudar muitas pessoas além do próprio catador. “A sociedade se beneficia também, com a diminuição da quantidade de lixo jogado nas ruas”, afirmou.

Douglas Sarra da Cunha, representante do Comércio de Sucatas Cunha de Aparecida do Taboado, avalia que a utilização do Urupet pode aumentar o raio de atuação dos catadores, beneficiando os trabalhadores individuais e, indiretamente, a empresa que comercializa os materiais. “Como empresa, eu acredito que a ferramenta auxilie muito o catador, diminuindo o volume das garrafas PETs e fazendo com que eu consiga receber esse material com mais agilidade. Além de agregar valor ao material, pelo volume comprimido, e ser fácil e leve de transportar”, analisou.

(*) Assessoria de Comunicação Fiems

A ação encerra o roteiro, que começou na segunda-feira (03) (Foto/Assessoria)

Comentários