19/02/2019 09h05

Câmera de vídeo percorre a rede coletora de esgoto e detecta problemas e irregularidades

Redação

A Empresa de Saneamento de Mato Grosso do Sul (Sanesul), adquiriu dois equipamentos para detectar eventuais irregularidades existentes na rede coletora de esgoto e, assim como Maracaju, Três Lagoas também terá a tecnologia que busca aprimorar os serviços de manutenção. O treinamento de um grupo de técnicos da operação e manutenção aconteceu esta semana na unidade da Sanesul do município de Macaraju.

Conforme a empresa, o equipamento é de fabricação americana e consiste em uma câmera de vídeo conectada a um computador que registra, em tempo real, a parte interna das tubulações por meio de vídeo e também de fotos.

Além de dar agilidade na manutenção, reduzindo tempo de serviço e custos, as imagens vão ajudar a verificar a vida útil e condições das tubulações. Esse equipamento também pode facilitar, por exemplo, a identificação de problemas de entupimento da rede, situação muito comum na rotina dos técnicos da empresa.

A Gerência de Esgotamento Sanitário (GESES) explica que escolheu esses dois municípios com base na alta demanda existente.

COMO FUNCIONA

Durante o trabalho, a câmera é inserida na rede coletora de esgoto por um cabo de até 120 metros de extensão. As imagens captadas são enviadas e armazenadas no computador operado pela equipe.

“É possível visualizar qualquer anormalidade, desde lixo acumulado até gordura excessiva nas paredes dos tubos. Também eventuais ligações clandestinas de esgoto ou canalização indevida da água de chuva”, comentou Lafaiette Silva Oliveira, da Geses, setor responsável pelo treinamento.

Comentários