09/05/2018 15h40

Alerta consta no Boletim Informativo de Vigilância da Qualidade do Ar, emitido pela coordenação do Setor de Vigilância em Saúde Ambiental

Gisele Berto

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Três Lagoas, por meio da coordenação do Setor de Vigilância em Saúde Ambiental da Diretoria de Vigilância em Saúde e Saneamento, alerta a população para os perigos da qualidade do ar que respiramos, principalmente, neste período de estiagem e baixos índices de umidade.

O alerta consta no Boletim Informativo de Vigilância da Qualidade do Ar nº 05/2018, divulgado pela coordenação do Setor de Vigilância em Saúde Ambiental e refere-se ao período de 5 a 9 de maio.

Como consta no referido Boletim, devido à constatação de elevados índices da presença de monóxido de carbono e material particulado, o ar de Três Lagoas foi considerado de qualidade “boa”, no sábado (5), “regular” no domingo (6) e na segunda-feira (7), mas “inadequada”, na terça-feira (8) e na quarta-feira (9).

Como a previsão de chuva é somente para sábado (12), a SMS de Três Lagoas alerta a população para os riscos à saúde quando a qualidade do ar é considerada “irregular” ou “inadequada”.

Como consta no referido Boletim Informativo de Vigilância em Saúde Ambiental, quando a qualidade do ar é regular, as pessoas “de grupos sensíveis (crianças, idosos e pessoas com doenças respiratórias e cardíacas), podem apresentar sintomas como tosse seca e cansaço. A população, em geral, não é afetada”.

No entanto, quando a qualidade do ar é registrada como “inadequada”, toda a população pode apresentar sintomas como tosse seca, cansaço, ardor nos olhos, nariz e garganta. Pessoas de grupos sensíveis (crianças, idosos e pessoas com doenças respiratórias e cardíacas), podem apresentar efeitos mais sérios na saúde”, alerta o Boletim.

MEDIDAS DE PROTEÇÃO

No referido Boletim também constam orientações importantes sobre medidas de proteção ambiental e pessoal que a população deve adotar, principalmente, nesta época de estiagem.

As principais delas são as seguintes: não fazer fogueiras nas proximidades de matas, florestas ou em áreas urbanas; atenção redobrada ao trafegarem por regiões sujeita aos incêndios; evitar jogar pontas de cigarros para fora dos veículos.

Entre as medidas de proteção pessoal, a Coordenação do Setor de Vigilância em Saúde Ambiental recomenda o seguinte: evitar exercícios físicos e exposição ao ar livre entre 10 e 16 horas; umidificar o ambiente através de vaporizadores, toalhas molhadas, recipientes com água, umidificação de jardins etc; permanecer em locais protegidos do sol ou em áreas arborizadas; e evitar aglomerações em ambientes fechados.

Foto/Sandra Inocêncio-Ilustração

Comentários